Costumes Bíblicos: O CASAMENTO DO CORDEIRO

O CASAMENTO DO CORDEIRO

Quais são os fatos acerca do casamento do Cordeiro?
A. As referências das Escrituras envolvidas.
a) Esse casamento é descrito por meio das parábolas de Jesus (Mt 22.2; 25.1; Lc 12.35,36).
b) Esse casamento é descrito pela visão de João (Ap 19.7).
B. O Anfitrião envolvido.
O Novo Testamento apresenta muito claramente o Pai como o anfitrião divino que realiza esse casamento. Ele é retratado como alguém preparando, depois enviando seus servos para chamar os seletos convidados (Lc 14.16-23).
Casamentos da Bíblia
Vários casamentos são descritos na Bíblia. O primeiro casamento foi realizado por um ministro convidado muito especial. Independentemente da cerimônia religiosa que ele tenha escolhido, ela não inclui as famosas palavras: "Se qualquer um dos presentes opor-se a este matrimônio, fale agora, ou cale-se para sempre". Essa frase era desnecessária, pois o ministro era o Próprio Deus, e o casal era Adão e Eva (Gn 2.18-25).
Então houve um casamento muito incomum em que o noivo descobriu na manhã seguinte, à luz do dia, que se casou com a mulher errada (Gn 29.21-25).
Uma das mais belas histórias de casamento começou em um campo de cevada fora da pequena cidade de Belém (Rt 2).
Talvez a história de casamento mais trágica tenha sido entre Acabe, rei de Israel, e Jezabel, uma ímpia adoradora de Baal. Esse casamento resultaria em muita tristeza e sofrimento pelo povo de Deus (1Rs 16.29-31).
Por fim, o Salvador dos homens escolheu um casamento na cidade de Caná para realizar Seu primeiro milagre (Jo 2.1-11).
Entretanto, o casamento mais fantástico e maravilhoso de todos os tempos ainda irá acontecer. 
C. O Noivo envolvido.
O amado Filho do Pai (Mt 3.17; 17.5), o Senhor Jesus Cristo, é o Noivo.
a) Como afirmou João Batista (Jo 3.27-30).
b) Como afirmou o Senhor Jesus Cristo (Lc 5.32-35).
D. A noiva envolvida.
Em duas passagens importantes, o apóstolo Paulo deixa bem clara a identidade da noiva (2Co 11.2; Ef 5.25).
E. A agenda do culto envolvida.
O casamento de Cristo com a Igreja terá os padrões dos rituais orientais de casamento conforme nos é descrito no Novo Testamento. Ele é constituído de três estágios separados:
1) O estágio do noivado.
Os contratos de casamento do Novo Testamento, geralmente, eram iniciados quando o casal era muito jovem (às vezes, antes do casamento) pelo pai do noivo. Ele assinaria um contrato legal diante do juiz, oferecendo o filho para uma jovem escolhida. O pai então ofereceria o pagamento do dote. Assim, mesmo que a noiva nunca tivesse visto o noivo, ela já estaria noiva ou casada com ele. Um exemplo no Novo Testamento desse primeiro passo é o casamento de Maria e José (Mt 1.18).
Maria e José vieram de Jerusalém e, provavelmente, tivessem sido noivos, ou prometidos um ao outro, desde a infância. Mas agora Maria descobriu estar grávida antes que o casamento pudesse ser consumado, e é claro que José podia ter apenas uma conclusão - ela foi infiel. Então, o anjo do Senhor explicou para José as glórias do nascimento virginal.
Dessa forma, o estágio do noivado consistia de dois passos: a escolha da noiva e o pagamento do dote. Com isso em mente, podemos afirmar que o casamento do Cordeiro ainda está na fase do noivado.
  1. A Noiva foi escolhida (Ef 1.3,4).
  2. O dote foi pago (1Co 6.19,20; 1Pe 1.18,19)
2) O estágio da apresentação.
No tempo propício, o pai enviará servos com o contrato legal para a casa da noiva. A noiva então será levada para casa do pai do noivo. Quando tudo estiver pronto, o pai da noiva irá colocar a mão dela na mão do pai do noivo. Ele então colocará a mão dela na do seu filho. Aplicando esse contexto ao casamento do Cordeiro, a Igreja ainda espera por essa segunda fase, o estágio da apresentação, que conhecemos como arrebatamento! (Ef 5.25,27; Jd 1.24; Ap 19.7,8).
Como no estágio do noivado, o estágio da apresentação também consiste de dois passos: a apresentação dos papéis legais e a busca da noiva para a casa do pai do noivo.
Portanto, o estágio de apresentação acontecerá no arrebatamento.
  1. Os papéis legais serão apresentados (2Tm 2.19).
  2. A Noiva será levada à casa do Pai (Jo 14.2,3).
3) O estágio da celebração.
Depois que a cerimônia privada de casamento foi feita, a ceia pública de casamento começaria. Muitos serão convidados para essa celebração. Foi durante uma ceia assim que o nosso Senhor realizou Seu primeiro milagre, o de transformar água em vinho (veja Jo 2.1-11). Jesus depois se refere a esse terceiro passo (Mt 22.2,3; Lc 12.35-37; 14.16,17).
F. O tempo envolvido.
Quando acontecerá o casamento? Em vista do que já foi dito, parece que a cerimônia de casamento (o estágio da apresentação) será realizada secretamente no céu, talvez um pouco depois do Tribunal de Cristo. A ceia de casamento (o estágio da celebração) será realizada publicamente na terra pouco depois da segunda vinda de Cristo.
Não é por acidente que a Bíblia descreve o milênio como um evento que ocorrerá logo depois que a ceia de celebração começar. (A ceia é descrita em Apocalipse 19, e o milênio é descrito em Apocalipse 20). Na época do Novo Testamento, a duração e custo dessa ceia eram determinados pela riqueza do pai. Portanto, quando o seu amado Filho se casar, o Pai de toda graça (cuja riqueza é ilimitada) estará à altura da situação, oferecendo a Seu Filho e à Noiva uma celebração de aleluia que durará por mil anos!
A preconização do Antigo Testamento envolvida:
Salmo 45, escrito por Corá, geralmente era referido como "O salmo do casamento do Rei". Ao lê-lo, podemos imaginar Corá sendo convidado para esse glorioso evento futuro - o casamento do Rei! Ele descreve-nos, vividamente, a glória do Noivo (Sl 45.2-8), os presentes de casamento caros (Sl 45.12), a amabilidade da Noiva (Sl 45.13,14) e a alegre multidão jogando arroz (Sl 45.15).
Por que o casamento do Cordeiro será completamente diferente de todos os casamentos da terra?
Casamentos terrenos podem ser evitados  por causa de diversos problemas inesperados.
A- Em um casamento terreno, pode haver uma recusa de último minuto por parte do noivo ou da noiva. Mas não no casamento celestial.
  1. O Noivo já expressou Seu grande amor pela Noiva (Ef 5.25), e Ele nunca muda (At 1.11; Hb 13.8).
  2. A Noiva já foi glorificada e não tem pecado, portanto, não pode ser tentada a mudar de ideia ou perder seu amor pelo Noivo (Ef 5.27; Hb 10.14).
B- Em um casamento terreno, um problema legal sério pode surgir, como idade insuficiente ou até de um casamento anterior - mas não no casamento celestial (veja Rm 8.33-39). Em um casamento terreno, a tragédia da morte pode intervir - mas não no casamento celestial.
  1. A Noiva nunca morrerá (Jo 11.26).
  2. O Noivo nunca morrerá (Ap 1.18).
Levanta-te, querida minha, formosa minha, e vem. Ct 2.10
 
     
    Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; Ct 6.2a

DESTAQUE NO SITE

JESUS e a Lei

Jesus rejeitou a  Lei? Não. Veja: Mt 5.17; Jo 14.10; 14.21; Rm 7.12; Gn 26.5; Ex 31.18  Alguns cristãos acreditam equivocadament...

MAIS ACESSADOS