COSTUMES BÍBLICOS: junho 2015


AS DIFERENTES CARACTERÍSTICAS DOS QUATRO EVANGELHOS DE JESUS CRISTO



MATEUS 
Esse Evangelho foi escrito preocupando-se com os judeus, e por isso há tantas referências às profecias do Antigo Testamento, as quais Jesus cumpriu. Contém, pelo menos, 129 citações ou alusões ao Antigo Testamento. O objetivo de Mateus era mostrar ao povo judeu que Jesus era de fato, o Messias tão aguardado por ele.
Autor: Mateus (Levi)
Data em que foi escrito: Provavelmente entre 60 e 65 d.C.
Propósito: Apresentar Jesus como o Messias, que trouxe o Reino dos céus à terra.
Temas: Jesus, o Messias, o Reino dos céus, a inclusão dos gentios no Reino dos céus.

MARCOS 
O Evangelho de Marcos é um relato da vida, do ministério, dos milagres e das palavras de Jesus Cristo. Em contraste ao livro de Mateus, que apresenta Jesus primeiramente como o Messias, Marcos enfatizava a servidão do Senhor.
Autor: João Marcos
Data em que foi escrito: Provavelmente entre 55 e 65 d.C.
Propósito: Apresentar Jesus Cristo como servo e Filho de Deus, recontando Seu ministério e ensinamentos em uma biografia linear básica.
Temas: Jesus, o Messias, servidão/ministério, milagres.

LUCAS 
Lucas era um gentio que creu em Jesus Cristo. Seu propósito ao escrever um relato acerca da vida, da morte e da ressurreição de Jesus Cristo era tornar a mensagem de salvação compreensível para os que eram alheios à fé e à cultura dos judeus.
Autor: Lucas, um médico gentio e cooperador de Paulo.
Data em que foi escrito: Por volta de 60 d.C.
Propósito: Apresentar um relato fiel da vida vida e do ministério de Jesus Cristo.
Temas: Jesus Cristo, o Salvador, o Espírito Santo, compaixão pelo oprimido, salvação para os gentios.

JOÃO 
Enquanto a ênfase dos outros três Evangelhos estava na descrição dos eventos da vida de Jesus, João foca no significado desses eventos. Por exemplo, enquanto todos os quatro Evangelhos registram o milagre da alimentação de cinco mil homens realizado por Jesus, apenas o livro de João contém a mensagem de Jesus sobre o "pão da vida", que se seguiu após o milagre.
Autor: João, o apóstolo, filho de Zebedeu e irmão de Tiago, o apóstolo.
Data em que foi escrito: Por volta de 90 d.C.
Propósito: Mostrar que Jesus é o Messias, o Filho de Deus, e que todos que acreditam nele terão vida eterna.
Temas: Jesus como único Filho de Deus, vida eterna, o Espírito Santo, luz versus trevas, as declarações "Eu sou" de Jesus.

EVANGELISTAS NOTÁVEIS DO NT

Estevão: At 6.8-15.
Filipe: At 8.5-40.
Paulo: Rm 15.18,19.
Pedro: At 2.14-41.
Timóteo: 2Tm 1.6,7; 4.5.





EVANGELISMO

É uma tarefa coletiva: Jo 20.20.
É uma tarefa espinhosa: At 11.19.
É uma tarefa gratificante: At 11.21; Ap 22.12.
É uma tarefa universal: Mc 16.15.
É uma tarefa urgente: Jo 9.4.





Até a próxima! 
Fica na Paz!


E SE JESUS NÃO TIVESSE NASCIDO?!

Não existiria reconciliação, não existiria esperança.
Se Jesus não tivesse nascido, Deus continuaria sendo inacessível e o homem continuaria sendo apenas criatura sem a possibilidade de ter acesso a Deus.
Se Jesus não tivesse nascido, não teríamos acesso ao Pai, pois só Jesus é o caminho.
Imagine se Jesus não tivesse nascido.
Ele não teria se tornado homem, nem se tornado o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Não haveria remissão, não haveria perdão, não haveria maneira de recebermos a vida divina.
Se Jesus não tivesse nascido, Ele não teria se tornado o grão de trigo que caindo na terra e morrendo, libera a vida que está dentro do grão.
Se Jesus não tivesse nascido, a vida divina que estava dentro dEle não teria sido liberada com a Sua morte e ressurreição e não haveria como esta vida divina chegar a nós.
Se Jesus não tivesse nascido, Ele não teria se tornado o Espírito que dá vida e não poderia entrar para dentro de nosso espírito.
Mas graças a Deus!!
Na plenitude dos tempos Jesus nasceu. Trouxe a divindade para dentro da humanidade. Tornou-Se o Cordeiro de Deus...
Como é bom saber que Jesus Cristo é real, agora, neste exato momento, disponível a você e a mim. Acessível a cada instante, em toda situação.
Chamo por Ele.
Jesus é disponível, acessível, cheio de vida e paz! Amém!

JESUS NASCEU NO TEMPO CERTO

Ele nasceu na plenitude dos tempos: Gl 4.4.
Ele nasceu segundo a profecia de Daniel: Dn 9.24,25.
Ele nasceu no tempo de Herodes, reedificador do Templo: Ag 2.6-9.

JESUS E SUA PREEXISTÊNCIA

Ele é anterior a Abraão: Jo 8.58.
Ele é anterior à fundação do mundo: Jo 17.24.
Ele é anterior a João Batista: Jo 1.15.
Ele é anterior a todas as coisas: Jo 1.3.
Ele é Pai da eternidade: Is 9.6.
Ele é Alfa, Princípio e Primeiro: Ap 22.13.
JESUS, 7 aspectos fundamentais de Sua vida terrena
Sua ascensão visível: At 1.9-11.
Sua morte vicária: 1Co 15.3; 2Co 5.14,15.
Sua ressurreição triunfante: Mt 28.6; Lc 24.39.
Sua tentação: Mt 4.1-11; Lc 4.1-13.
Seu batismo: Mt 3.16,17; Mc 1.9-11.
Seu nascimento virginal: Mt 1.23; Lc 1.31,35. Veja também: A VIDA DE JESUS
Seus milagres: Mt 4.23-25; At 10.38.
JESUS, pisado
Nas costas e na cabeça: Is 50.6; Jo 19.17.
Nas mãos e nos pés: Mt 27.38.
Para nos dar saúde: Is 53.5.
JESUS, seu sofrimento, morte e ressurreição
Referências bíblicas: Mt 27; Lc 22.23; Mt 28; Jo 21; At 1.9; 2.24,32,33.

JESUS SUBIU

Para a glória: Lc 24.26.
Para as alturas celestiais: At 1.11; Ef 4.8.
Para o Pai: Jo 13.3; 14.2,28; 16.28.

JESUS VOLTARÁ

Como Noivo, para a igreja: Mt 25.1-13.
Como Juiz, para o mundo: At 10.42; 2Tm 4.8.
Como Messias, para Israel: Jo 4.25.
Brevemente: Ap 22.7,12.
Pessoalmente: 1Ts 4.16.
Repentinamente: Mt 25.
Secretamente: Mt 24.36.
Para julgar Seus inimigos: Sl 2.3-9; 2 Ts 2.15,16; Ap 19.11-16.
Para salvar Israel: Is 62.4; Jr 30.7; 31.34; Zc 14.1-3.
Para revelar Sua Glória: Zc 14.9; Mt 24.30; At 1.11; Ap 1.7.

JESUS VIRÁ

Com brevidade: Ap 22.7.
Com certeza: At 1.11.
Com poder: Mt 24.30.
Com os santos: Jd 14.
JESUS VIRÁ COMO LADRÃO
O momento de Sua vinda é desconhecido: Mt 24.36.
Sua vinda será surpreendente: Mt 24.39.
Sua vinda será súbita: Mt 24.27.
Sua vinda será precedida de grande aflição: Mt 24.21.
E isto é o mínimo que teríamos a dizer do Mestre!
"Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém."
Jo 21.25

Visite também:
A VIDA DE JESUS

AS DEZ PRAGAS DO EGITO E SEU OBJETIVO


AS DEZ PRAGAS DO EGITO E SEU OBJETIVO
Dado o contexto da história, as dez pragas tiveram a intenção de mostrar a superioridade de Deus( ADONAI - YHVH em hebraico) sobre os deuses do Egito. Possíveis paralelos incluem:
O auge do relato das pragas é a Páscoa (Êx 12.1-4). Durante a décima praga, o "anjo da morte" passou pelo Egito, provocando a morte dos primogênitos, inclusive o filho do Faraó. A fim de não serem atingidos pela praga, os israelitas foram instruídos a abater um cordeiro sem defeito, espalhar o sangue nas ombreiras das portas, e assar o animal e comê-lo com pães ázimos e ervas amargas. Essa refeição (pesach) foi o prelúdio do êxodo. A fé deles tornou-se a base da redenção da nação cativa no Egito. Assim, Deus ordenou que Israel celebrasse a festa da Páscoa por todas as gerações como comemoração desse importante acontecimento (Êx 12.1-14). Já que Israel deveria deixar o Egito imediatamente, e o pão demorava para levedar, os hebreus tiveram de eliminar o fermento de suas casas. Assim sendo, Deus também determinou que Israel celebrasse a festa dos pães asmos (matstsoth) por todas as gerações a fim de comemorar a rapidez com que o povo redimido deixou o Egito (Êx 12.15-20). E Jesus derramou Seu sangue para nossa redenção na ocasião da Páscoa (Jo 19.14), cumprindo a declaração de João Batista: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).



Praga
Divindade egípcia
ref.:
1. Água em sangue
Osíris, Hapi, Khnum
Êxodo 7.14-25
2. Rãs
Heqt, divindade rã
Êxodo 8.1-15
3. Piolhos
Seb
Êxodo 8.16-19
4. Moscas
Khepri e Uatchit
Êxodo 8.20-32
5. Gado
Tifão e Imhotep
Êxodo 9.1-7
6. Úlceras
Hator e Ápis
Êxodo 9.8-12
7. Saraiva
Serápis e Ísis
Êxodo 9.13-35
8. Gafanhotos
Set, protetor das colheitas
Êxodo 10.1-20
9. Trevas
Rá, deus sol
Êxodo 10.21-29
10. Morte dos primogênitos
Ptá,deus da vida
Êxodo 11.1—12.36
Deus deu instruções a Moisés para que ele falasse a Arão para tocar nas águas com o seu bordão
e todo o rio tornou-se em sangue
Êxodo 7.14

CURIOSIDADE DO HEBRAICO BÍBLICO SOBRE AS DEZ PRAGAS (*DESFAZENDO A CRIAÇÃO COM AS PRAGAS FINAIS DO EGITO)

As dez pragas contra o Egito lembram as dez expressões de Deus na criação: as dez aparições de ויאמר ( vayomer ; “e ele disse”) em Gênesis 1 sublinham a criatividade do Senhor , e Êxodo apresenta dez pragas pelas quais Deus desfaz a própria criação para libertar os hebreus da escravidão. Cada praga corresponde e reverte um ato criativo específico, e as pragas finais - escuridão e morte do primogênito - não são exceção [para obter detalhes sobre como as pragas 1-8 se encaixam nesse esquema de criação, clique aqui ... e aqui ... e aqui ... e aqui! ] De fato, a praga das trevas desfaz o primeiro ato de Deus de dar luz a um mundo sombrio.Então, a praga final desfaz o ato final de criação de Deus; as mortes do primogênito desfazem o surgimento dos primeiros humanos no sexto dia. Ao enviar as pragas, Deus está disposto a cancelar a criação para garantir a emancipação de Israel.
A nona praga cobre o Egito com uma escuridão que lembra a escuridão primordial antes da intervenção divina. De acordo com Gênesis, "No começo ... a terra estava sem forma e vazia, e as trevas ( hos ; hoshek ) estavam sobre a face das profundezas" (Gn 1: 2). Deus encontra as trevas chamando a primeira luz para o mundo e depois separa “a luz das trevas ( hos ; hoshek )” (1: 4). No Egito, Deus permite que as trevas invadam a luz, revertendo assim o primeiro ato criativo: “O Senhor disse a Moisés: 'Estenda a mão para os céus, para que haja trevas ( חשׁך ;Hoshek ) na terra do Egito, uma escuridão que pode ser sentida. E Moisés estendeu a mão para o céu e houve trevas densas( hos ; hoshek ) sobre toda a terra do Egito por três dias ... mas todos os filhos de Israel tiveram luz em suas habitações ”(Êx 10: 21-22). Ao permitir que a luz permanecesse no meio de Israel, Deus mais uma vez separou a luz das trevas, assim como Deus fez na criação. Desta vez, porém, Deus inverte o processo criativo, trazendo trevas para uma terra iluminada.
Depois que Deus envia a décima e última praga, todos os egípcios primitivos perecem, de modo que “houve um grande clamor no Egito, pois não havia uma casa na qual não houvesse morte ( ; ת ; conheceu )” (Êx 12:30) . Junto com os seres humanos primogênitos, até os animais primogênitos entre os animais do Egito expiram (12:29). Essa descrição da morte inverte a obra criativa de Deus no sexto dia - o dia em que Deus cria o gado e a humanidade, e o dia que inclui a frase “o sopro da vida ” ( נפשׁ חיה ; nefesh hayah; Gen 1:30). Além disso, Deus respira “o sopro da vida” para a humanidade em Gênesis 2: 7. Na medida em que animais e humanos recebem "vida" no sexto dia, a morte na praga final desfaz a criação inicial. Finalmente, quando Faraó finalmente ordena que os israelitas saiam, ele acrescenta a Moisés e Arão: "Pegue seus rebanhos e manadas ... e se vá, e me abençoe ( ברך ; barakh ) também!" (Êx 12:32). Essa referência faraônica à “bênção” ecoa a decisão de Deus de “ abençoar ” ( ברך ; barakh ) tanto humanos quanto animais no sexto dia (Gênesis 1:22, 28). No Êxodo, no entanto, o rei do Egito pede bênçãos no meio da morte, enquanto Deus concede bênçãos pela vida. Desse modo, as pragas finais invertem os primeiros dias de Gênesis e ressaltam a disposição de Deus de desfazer a criação quando ela leva à salvação de Israel. (*Texto de Dr. Nicholas J. Schaser/Israel Bible Center/Editado aqui por Costumes Bíblicos)

Postagem em destaque

Os Crentes Gentios Permanecem para sempre Distintos do Povo de Israel!

Os antigos comentaristas crentes posteriores ao Novo Testamento tendiam a ver os membros da igreja multinacional como um “novo” ou “verdadei...