Costumes Bíblicos: Partidos políticos e religiosos do tempo de Jesus

CANAL DO SITE

Partidos políticos e religiosos do tempo de Jesus

Judeus da diáspora
Os judeus foram espalhados por causa dos cativeiros da Assíria e da Babilônia (At 2.5,9-11). Veja "A diáspora judaica"

Epicuristas


Uma filosofia hedonista do primeiro século desenvolvida por Epicuro (341-270 a.C.; veja At 17.18).

Epicurismo




O epicurismo é o sistema filosófico que prega a procura dos prazeres moderados para atingir um estado de tranquilidade e de libertação do medo, com a ausência de sofrimento corporal pelo conhecimento do funcionamento do mundo e da limitação dos desejos. Já quando os desejos são exacerbados podem ser fonte de perturbações constantes, dificultando o encontro da felicidade que é manter a saúde do corpo e a serenidade do espírito, ensinado por Epicuro de Samos, filósofo ateniense do século IV a.C., e seguido depois por outros filósofos, chamados epicuristas. Epicuro também é conhecido como o Filósofo do Jardim, pois "O Jardim" foi como ficou conhecida a escola por ele fundada e que consistia numa comunidade de amigos e seguidores. Lá, escreveu com detalhes a filosofia que iria se tornar conhecida como epicurismo.
Para Epicuro, para ser feliz era necessário controlar os nossos medos e desejos de maneira que o estado de prazer seja estável e equilibrado consequentemente a um estado de tranquilidade e de ausência de pertubação.
Epicuro/Filósofo
No Jardim, em Atenas, Epicuro escreveu mais de 300 trabalhos, dos quais nenhum sobreviveu; deles restam notícias de seus discípulos ou alguns fragmentos. Sua filosofia é de cunho materialista, não havendo espaço para a imortalidade. (Fonte: Wikipédia)
Epicuro de Samos (FOTO) foi um filósofo grego do período helenístico. Seu pensamento foi muito difundido e numerosos centros epicuristas se desenvolveram na Jônia, no Egito e, a partir do século I, em Roma, onde Lucrécio foi seu maior divulgador. Nascimento: fevereiro de 341 a.C., Samos, Grécia. Falecimento: 270 a.C., Atenas, Grécia Obra: Epicurea Filiação: Chaerestrate, Neocles Influências: Demócrito, Aristipo de Cirene, Pirro de Élis.

Galileus

1- Politicamente, eles estavam na "extrema direita" da época.
2- O grupo nasceu no norte da Palestina, liderado por um Judas da Galileia, que comandou uma rebelião contra todos os estrangeiros. Defendia que a Galileia era dos galileus.
3- Eles tiveram um atrito violento com Pilatos, que se sentiu forçado a massacrar um número deles certa ocasião (Lc 13.1).
4- Os inimigos de Cristo tentaram compará-lo, juntamente com Seus discípulos, aos galileus (Mt 26.69; Mc 14.70; Lc 23.6).

Helenistas

Judeus que falava grego (At 6.1).

Herodianos

1- Era uma dinastia política da família de Herodes.
2- Eles tiravam sua autoridade do governo romano e favoreciam costumes gregos.
3- Eles estavam comprometidos em manter o status quo e eram advogados da lei e da ordem.
4- Eles juntaram-se à missão dos fariseus de silenciar Cristo.
a) Durante Seu ministério na terra (Mc 3.6).
b) No meio de Seu ministério (Mc 12.13).
c) Em Sua última semana (Mt 22.16).
5- Eles consideravam-no um revolucionário.
6- Cristo rejeitou a filosofia herodiana (Mc 8.15; 12.13-17).

Levitas

1- Eram descendentes de Levi, o terceiro filho de Jacó (Gn 29.34).
2- Eles eram encarregados pelo Templo.
3- Os judeus enviaram alguns sacerdotes e levitas para verificarem o ministério de João Batista no deserto (Jo 1.19).
4- Jesus mencionou um levita (que não queria envolver-se) na parábola do bom samaritano (Lc 10.32).

Libertinos

Um grupo de ex-escravos que, aparentemente, tinham sinagogas
próprias em Jerusalém (At 6.9).

Nazireus

Indivíduos que fizeram um voto religioso especial, conforme prescrito em Números 6 ( Sansão e João Batista tinham esse voto.) Veja Jz 13.3; Lc 1.15).

Fariseus

1- Esse grupo nasceu na época dos macabeus, durante o reinado de João Hircano (135-104 a.C.).
2- Eles eram chamados de separatistas, como forma de zombaria por seus inimigos. Esse nome era tirado do verbo parash.
3- Eles eram exponentes e guardiões da lei escrita e oral. Na crença, eles eram conservadores, em contraste com os saduceus liberais.
4- Eles eram os inimigos mais amargos de Cristo.
  1. Eles condenaram-no por associar-se aos pecadores (Mt 9.11; Lc 7.39; 15.2).
  2. Eles condenaram-no por curar no sábado (Lc 6.7; 14.1).
  3. Eles condenaram-no por permitir que Seus discípulos comessem no sábado (Mt 12.1,2).
  4. Eles acusaram-no de expulsar demônios pelo poder de Satanás (Mt 9.34).
  5. Eles queriam matá-lo no início do Seu ministério (Mt 12.14).
  6. Eles exigiram que Ele fizesse sinais para eles (Mt 12.38; 16.1).
  7. Eles desprezaram-no porque Ele recusava-se a seguir sempre as suas tradições (Mt 15.1,2).
  8. Eles tentaram encurralá-lo em várias questões teológicas. (1) Sobre casamento (Mt 19.3). (2) Sobre pagar impostos a César (Mt 22.15). (3) Sobre o Reino de Deus (Lc 17.20). (4) Sobre adultério (Jo 8.3).
  9. Eles tentaram negar Seus milagres (Jo 9.15).
  10. Eles duvidaram da legalidade do Seu nascimento (Jo 8.41; 9.24).
  11. Eles acusaram-no de estar mentindo (Jo 8.13).
  12. Eles fizeram ameaça de retaliação sobre todos que o aceitassem (Jo 9.22; 12.42).
  13. Eles planejaram a Sua morte (Jo 11.47-52).
  14. Eles ordenaram Sua prisão no Getsêmani (Jo 18.3).
  15. Eles exigiram que um guarda fosse colocado em Seu sepulcro (Mt 27.64).
5- João Batista denunciou os fariseus completamente (Mt 3.7; Lc 7.30).
6- Jesus denunciou os fariseus completamente (Mt 5.20; 16.11; 23.1-36; Lc 18.10).
7- A doutrina dos fariseus inclui:
  1. Uma concepção quase fatalista da soberania de Deus.
  2. Uma crença na ressurreição dos justos e na condenação de todos os ímpios.
  3. A existência e o ministério dos anjos.
8- Nicodemos (Jo 3.1) e Paulo (At 23.6) eram fariseus de nascimento e treinamento.
9- A obra The Jewish Encyclopedia lista sete tipos de fariseus.
  1. O fariseu "ombro", que exibia suas boas obras diante dos homens, como um emblema no ombro.
  2. O fariseu "espere um pouco", que pedia que alguém esperasse por ele enquanto realizava uma boa obra.
  3. O fariseu "ferido", que se feriu indo de encontro a um muro porque fechou os olhos para evitar que visse uma mulher.
  4. O fariseu "pilão", que andava de cabeça baixa como o pilão no morteiro, em vez de observar tentações.
  5. O fariseu "sempre calculando", que sempre contava suas boas obras para ver se estas anulavam suas falhas.
  6. O fariseu "temente a Deus", que, como Jó, era verdadeiramente justo.
  7. O fariseu que "ama Deus",  como Abraão (adaptado da obra The Jewish Enciclopedia. 9 v. p. 665).
10-O número estimado de fariseus nos tempos de Jesus era seis mil.

Prosélitos

Gentios convertidos ao judaísmo (Mt 23.15; At 2.10; 13.43).

Publicanos

Os cobradores de impostos escolhidos pelo Estado Romano (Mt 9.9; Lc 3.13; 19.8).

Saduceus

1- Esse grupo veio de Zadoque, o sumo sacerdote, durante o reinado de Salomão (1Rs 2.35).
2- Eles eram o partido político e aristocrático dos judeus e rivais dos fariseus.
3- Os saduceus eram liberais teológicos da época. Eles negavam a existência de espírito, a ressurreição dos justos e a imortalidade da alma. Eram completamente antissobrenaturais.
4- Eles ficaram importantes na mesma época em que os fariseus ficaram. Ambos os partidos deixaram suas diferenças de lado brevemente para cumprir o objetivo comum de assassinar Cristo.
Eles tentaram ridicularizar Cristo em relação à questão da ressurreição, mas acabaram sendo ridicularizados (Mc 12.18; Lc 20.27).

Samaritanos

1- Eles eram uma raça mista de judeus e gentios que viviam entre as províncias da Judeia e da Galileia.
2- A corrida começou em 772 a.C., quando o rei assírio Sargão II levou o reino do norte de Israel em cativeiro, deixando apenas os israelitas mais pobres e menos instruídos para trás. Mais tarde, esse grupo fez casamentos mistos com os milhares de proprietários que vieram de todas as partes do mundo, a fim de encherem a área (2Rs 17.24-33).
3- Os samaritanos, depois, ofereceram ajuda na construção do Templo judeu em 535 a.C., mas foram recusados (Ed 4.1-3).
4- O governante samaritano, Sambalate, tentou impedir a construção dos muros de Jerusalém no tempo de Neemias (Ne 6.1-9).
5- Uma ruptura completa entre os judeus e os samaritanos ocorreu quando o neto de Eliasibe, sumo sacerdote judeu, casou-se com a filha de Sambalate, contrariando o estatuto que proibia casamentos mistos (Ne 13.23-28). Como recusou-se a anular o casamento, foi expelido do sacerdócio e exilado. Ele retirou-se para Samaria, onde Sambalate construiu um templo para ele no monte Gerizim. Esse templo foi destruído por João Hircano em 128 a.C.. O motivo deu-se ao fato de os samaritanos comprometeram-se com o paganismo sob Antíoco Epifânio IV, dedicando o templo ao deus grego Zeus.
6- Na época do Novo Testamento, esse ódio alcançou o ápice (Jo 4.9; 8.48).
7- Cristo ordenou que Seus discípulos não entrassem na Samaria durante a primeira jornada de pregação (Mt 10.5).
8- Entretanto, pouco antes de Sua ascensão, ordenou que testemunhassem por Ele naquela terra (At 1.8).
9- O próprio Jesus ministrou aos samaritanos em Seu ministério na terra (Jo 4.1-42).
10-Um samaritano era o herói em uma de Suas parábolas mais famosas (Lc 10.33).
11-Certa ocasião, ele curou dez leprosos. Apenas um retornou para agradecê-lo e ele era samaritano (Lc 17.16).
12-Jesus foi rejeitado pelos samaritanos durante o fim do Seu ministério na terra, porque estava determinado a ir para Jerusalém (Lc 9.53).

O Sinédrio

1- Esse nome vem de duas palavras gregas: sun (junto de) e hedra (um assento). Refere-se, então, a um conselho que se reunia em sessão.
2- O Sinédrio era o tribunal superior judeu.(Veja mais sobre O SINÉDRIO)
3- Pode ter sido iniciado no tempo de Moisés (Nm 11.16,17) ou durante os dias do rei Josafá (2Cr 19.8).
4- O conselho tinha de 70 a 72 membros e ra formado por:
  1. Sumo sacerdote, que era o presidente.
  2. Líderes das 24 divisões dos serviços sacerdotais.
  3. Escribas e doutores da lei.
  4. Anciãos, que eram representantes da laicidade.
5- Foi onde Cristo passou por Seu terceiro julgamento ilegal (Mt 26.65,66; 27.1,2). Ele também foi vendado, cuspido e agredido.
6- Seu julgamento diante do Sinédrio foi uma corrupção da justiça. (Veja "As injustiças dos sete julgamentos de Jesus").
  1. Eles normalmente se reuniam em um semicírculo com o prisioneiro, que ficava no meio e de frente para eles. Isso não foi feito com Jesus, pois Ele estava vendado.
  2. Dois escrivães foram escolhidos. Um registraria os votos para liberação, e o outro, para condenação. No caso de Cristo, isso não foi feito.
  3. Os argumentos para liberação eram dados em primeiro lugar. Isso não aconteceu no julgamento de Jesus.
  4. Se o voto era pela absolvição, o prisioneiro tinha de ser liberto imediatamente. Se o voto era para condenação, a condenação não podia ser anunciada até o dia seguinte. Esse procedimento não foi seguido.

Escribas

1- Eles eram os estudantes, intérpretes e professores dos escritos do Antigo Testamento e os inimigos mais amargos do Salvador.
2- Ele denunciou-os por tirarem o efeito da Palavra de Deus com suas tradições (Mt 16.21; 21.15; 23.2; 26.3; Mc 12.28-40).
3- Os escribas também eram chamados de doutores da lei (Mt 22.35; Lc 10.25; 11.45-52; 14.3).

Estoicos

Um grupo formado por Zeno (330 a.C.) que acreditava que o objetivo da vida era ficar acima de todas as coisas e não demonstrar emoção diante de dor ou prazer (At 17.18).

Zelotes

Um grupo de patriotas judeus e fanáticos defensores da teocracia (Lc 6.15; At 1.13).

 
Zeno ou Zenão de Eleia
Filósofo

Zenão de Eleia (FOTO), foi um filósofo pré-socrático da escola eleática que nasceu em Eleia, hoje Vélia, Itália. Discípulo de Parmênides de Eleia, defendeu de modo apaixonado a filosofia do mestre. Seu método consistia na elaboração de paradoxos.
Nascimento: 490 a.C., Eleia, Itália Falecimento: 430 a.C., Siracusa, Itália Filiação: Teleutagoras.

2 comentários:

  1. ACHEI EXCELENTE A CONTRIBUIÇÃO PARA O QUE EU PROCURAVA SABER .... PARABÉNS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que foi útil. Que bom que gostou! Obrigado pelo carinho no comentário. Volte sempre! Graciosa paz!

      Excluir

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

DESTAQUE NO SITE

As casas da Palestina no tempo de Jesus

Como na Palestina a vida transcorre ao relento durante todo o ano, tornou-se possível a todos aqueles que não possuem muita coisa restrin...