Costumes Bíblicos: O Novo Testamento - Introdução

CANAL DO SITE

O Novo Testamento - Introdução

O NOVO TESTAMENTO  INTRODUÇÃO
Você está prestes a estudar o livro mais influente já escrito, o Novo Testamento. É claro que essa declaração inclui o Antigo Testamento porque é o fundamento sobre o qual o (*)Novo se apoia. Esses dois livros compõe a Bíblia, a mensagem de Deus para o mundo. (Veja uma interpretação do Hebraico, sobre o Novo Testamento, AQUI)
A influência do Novo Testamento é ilustrada pelas inúmeras pessoas, ao longo da história, que leram a sua mensagem de salvação do pecado e de liberdade em Cristo Jesus, creram nas promessas de Deus, e tiveram a vida transformada.
Ela é também ilustrada pelas nações e impérios que foram fundados e influenciados pelas Escrituras. As leis desses povos foram baseadas nos valores judaico-cristãos, e seus cidadãos procuravam viver segundo a ética protestante/puritana. Seguir os princípios da Palavra de Deus fez deles uma grande nação.



O Novo Testamento começa (primeira seção) com quatro biografias do Filho de Deus, chamadas de Evangelhos, cada uma enfatizando um aspecto diferente da vida de Jesus. Uma virgem deu à luz e chamou seu filho de Jesus, como um anjo a havia instruído. Jesus foi criado em Nazaré da Galileia e crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens (Lc 2.52). Aos 30 anos de idade, Ele começou a pregar a mensagem do Reino de Deus e a realizar milagres para mostrar que Ele era o Messias. O povo escutava-o com alegria, mas os religiosos judeus e os líderes políticos rejeitaram-no e tramaram para matá-lo. (Veja "Partidos políticos e religiosos do tempo de Jesus") Ele foi crucificado pelos soldados romanos, mas morreu como o Cordeiro de Deus pelos pecados do mundo (Jo 1.29). Três dias depois, Cristo levantou-se dentre os mortos e passou 40 dias preparando Seus discípulos para um ministério mundial, pregando a mensagem da Sua morte e da Sua ressurreição como a base da salvação para todos quantos cressem.
O livro de Atos dos Apóstolos (segunda seção do Novo Testamento) - conta a história do início e do crescimento dos grupos de fiéis chamados de igreja. Atos dos Apóstolos apresenta a história da Igreja primitiva desde o Pentecostes até o encarceramento de Paulo em Roma (aproximadamente em 62 d.C.).
As cartas de Paulo compõem a terceira seção do Novo Testamento. essas cartas tornaram-se a base do ensino da crença doutrinária e das práticas cristãs.
Epístolas gerais (quarta seção do Novo Testamento) - estas incluem uma carta aos Hebreus em Jerusalém, uma carta de Tiago, o meio-irmão de Jesus, e cartas dos apóstolos Pedro, João e Judas. Elas foram escritas para resolver problemas específicos entre igrejas e fiéis.
O livro de Apocalipse (quinta, ou última seção do Novo Testamento) - escrito por João, o apóstolo, quando Jesus apareceu a ele e disse-lhe: Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer (Ap 1.19).
Queremos que você estude o Novo Testamento para que aprenda sobre Deus e que, nesta experiência, encontre a vontade do Altíssimo para a sua vida.
No nosso menu lado esquerdo do site, você vai encontrar os estudos em detalhes riquíssimos, sobre os quatros Evangelhos e as epístolas e o Apocalipse. Clique em cada opção exibida e seja ricamente abençoado! Paz!
"A nossa oração é que você desfrute do estudo do Novo Testamento e que, em sua pesquisa, esforce-se para tocar em Deus. Porém, o mais importante é que, desde já, oramos para que o Senhor também venha tocá-lo." Amém!

O NOVO TESTAMENTO NÃO É UM LIVRO (REVELAÇÃO DO (*)HEBRAICO BÍBLICO) - CURIOSIDADES HEBRAICAS - BÍBLIA HEBRAICA

A maioria dos leitores da Bíblia sabe que o Novo Testamento é uma coleção de evangelhos, cartas e ensinamentos que datam da época dos primeiros seguidores judeus de Jesus. O termo em inglês vem do latim Novum Testamentum , que geralmente é atribuído ao escritor cristão Tertuliano (século II dC). No entanto, os leitores modernos podem achar irônico descobrir que, quando a própria Bíblia menciona “Novo Testamento / Convênio” (καινὴ διαθήκη; kaine diatheke ), isso não significa essa coleção de escritos apostólicos. ( veja no artigo anterior, “Nova Aliança ou Novo Testamento?” )
(*)Nos Evangelhos, Jesus usou o termo “Nova Aliançaquando falou de seu sacrifício próprio (Lc 22:20). Shaul (Paulo) repetiu as palavras do Messias sobre uma Nova Aliança para seu próprio grupo de crentes em Corinto (1 Cor 11:25). O escritor de Hebreus usou o termo (em Hebreus 8: 8; 9: 11–15) com referência à promessa por meio de Jeremias de uma “nova aliança” para Israel e Judá (Jer 31: 31-34). O objetivo de Hebreus era mostrar que Yeshua é o Messias que inaugurou um novo e melhor sacerdócio. Paulo também usou o termo “nova aliança” (2 Cor 3: 6, 14) - referindo-se a ele e a seus colegas de trabalho como “ministros da nova aliança”. Sem dúvida, Paulo também se apoiou na promessa de inspiração da nova aliança de Jeremias. Deus declara através de Jeremias, 31 Eis que estão chegando os dias, declara o Senhor, quando farei uma nova aliança com a casa de Israel e a casa de Judá, 32 que não é semelhante à aliança que fiz com seus pais no dia em que os tomei a mão para tirá-los da terra do Egito, meu pacto que eles quebraram, embora eu fosse seu marido, declara o Senhor. 33 Pois este é o pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, declara o Senhor: porei a minha lei neles e a escreverei no coração deles. E eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. 34 E cada um não ensinará mais o próximo e o irmão, dizendo: 'Conhece o SENHOR', porque todos me conhecerão, desde o menor até o maior, declara o SENHOR. Pois perdoarei a sua iniqüidade e não me lembrarei mais dos seus pecados. ” (Jer 31: 31-34 ESV) Esta Nova Aliança / Testamento (בְּרִית חֲדָשָׁה; berit hadashah ) não é um livro, mas uma aliança - ou contrato teológico - que fala de caminhar com Deus em um relacionamento mais novo e profundo do que nunca.
De fato, a “Nova Aliança / Testamento” nem sequer é um paradigma teológico exclusivamente cristão. Os escritos judaicos encontrados no Mar Morto e no Cairo Geniza desenvolvem uma idéia teológica idêntica baseada nas palavras de Jeremias - muito antes de Jesus e os apóstolos. Os judeus de Qumran se autodenominavam "a comunidade da nova aliança" e falavam em "entrar na nova aliança" (Fragmentos de Zadokite ou CD vi 19; viii 21; xix 34; 1QpHab ii 3-4). De fato, o "Novo Testamento" é um título. Na tradição cristã posterior, o Novo Testamento tornou-se uma descrição da coleção de escritos apostólicos, mas, falando em termos bíblicos, a Nova Aliança não é um livro.
(*Texto de Pinchas Shir publicado originalmente em Israel Bible Center - Editado aqui por Costumes Bíblicos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

DESTAQUE NO SITE

Jesus aparece aos discípulos na praia

JESUS APARECE AOS DISCÍPULOS NA PRAIA Certa tarde, Simão Pedro, que havia regressado para a sua casa em Cafarnaum, disse a seis de seus...