Costumes Bíblicos: O Antigo Testamento Introdução

Israel Institute of Biblical Studies

O Antigo Testamento Introdução



Introdução ao Antigo Testamento
Os cristãos já se acostumaram a chamar a primeira parte da Bíblia, de Gênesis a Malaquias, de Antigo Testamento. Mas ele data de antes da época de Cristo e antes mesmo de haver um Novo Testamento. Por isso, é importante lembrar que antes ele era independente, e que era, e ainda é, a Bíblia completa do povo judeu.
Não é de admirar que os judeus não gostem do nome "Antigo Testamento" pois isto implica que é incompleto sem o "Novo Testamento" cristão. Para os judeus, ele é a revelação completa de Deus, a Bíblia Hebraica, que eles tratam com grande reverência e respeito.
Eles o chamam de Tanak, que é um acrônimo formado a partir da letra inicial das palavras que designam cada uma das três partes:
a Torá ou Lei de Moisés
os Neviim, ou seja, os profetas
e os Ketuvim, ou os Escritos.
Na Bíblia hebraica a ordem dos 39 livros é um pouco diferente daquela que é familiar aos cristãos, mas é aqui que devemos começar.
A Torá ou Lei de Moisés 

 
OS CINCO ROLOS - Saiba mais click na imagem acima
(A Lei, os Cinco Livros de Moisés - Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio - é a pedra fundamental das Escrituras hebraicas, a parte mais importante. Frequentemente toda a Bíblia é descrita por judeus como "A Torá"
Os Neviim
Esta é uma palavra no plural que significa Profetas. Nada menos que 21 livros estão incluídos na segunda parte do Tanak, e para simplificar são divididos em Profetas Anteriores e Profetas Posteriores.
Os Profetas Anteriores são o que nós chamaríamos de histórias : Josué, Juízes, 1 e 2Samuel e 1 e 2Reis.
Em síntese, é porque estes livros não são história pura e factual nem anais enfadonhos. Pelo contrário, contam as histórias do desenvolvimento da vida de Israel como uma espécie de desdobramento da palavra e das promessas de Deus por intermédio de Abraão, Moisés e Davi. São mais que apenas história, pois apontam para o Deus de Israel e ilustram sua palavra e seu modo de agir.
Os profetas Posteriores são mais conhecidos: Isaías, Jeremias, Ezequiel e o "Livro dos dos Doze" ou "Profetas Menores": de Oséias a Malaquias.
Os Escritos
Os Ketuvim incluem todo o restante na seguinte ordem: Salmos, Jó, Provérbios, os Cinco Megilot (veja abaixo), Daniel, Esdras, Neemias, 1 e 2Crônicas.
É interessante observar que Daniel não está incluído nos Profetas, que é onde se encontra em nosso Antigo Testamento. Isto está correto, de certa forma, porque Daniel é uma obra de estilo diferente, de cunho mais apocalíptico do que profético.
Além disso, Esdras e Neemias aparecem antes de 1 e 2Crônicas que historicamente os precedem. O Antigo Testamento, com razão, inverte a ordem. No entanto, a Bíblia hebraica pode refletir a sequência em que os diversos livros foram aceitos  no cânon das Escrituras autorizadas. Resta mencionar os Cinco Megilot (literalmente, "pequenos rolos"), os livros de Rute, Cânticos dos Cânticos, Eclesiastes, Lamentações e Ester. Estes foram reunidos e usados em conexão com cinco festas judaicas; a festa das Semanas (Rute), da Páscoa (Cântico dos Cânticos), dos Tabernáculos (Eclesiastes), o jejum comemorando a queda de Jerusalém em 587 a.C. (Lamentações) e Purim (Ester).
Estas são as três subdivisões da Bíblia Hebraica. Elas remontam à antiguidade, certamente ao primeiro século da era cristã, e indícios delas são encontrados no ensino de Jesus. Por exemplo, já comentamos que os judeus frequentemente se referiam às suas escrituras como a Torá, alei. Mas também havia ocasiões em que eram chamados "a lei e os profetas", refletindo as duas primeiras subdivisões principais do Tanak.
Jesus referiu-se muitas vezes ao Antigo Testamento dessa maneira. A referência mais interessante é Lucas 24.44 quando, após ter ressuscitado dos mortos, Jesus disse a seus discípulos no cenáculo que "era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos". Para mostrar que todas as Escrituras hebraicas apontavam para ele como o Messias de Israel, Jesus mencionou especificamente as três seções do Tanak. Isto justifica plenamente o novo nome que os cristãos deram à Bíblia hebraica, a saber, "Antigo Testamento" - preparando o caminho para o Novo Testamento que ainda viria.
Entendendo a Bíblia 
PENTATEUCO A HISTÓRIA DE ISRAEL POESIA E SABEDORIA OS PROFETAS
Gênesis a Deuteronômio Josué a Ester Jó a Cânticos dos Cânticos Isaías a Malaquias
Gênesis Josué Isaías
Histórias da criação Juízes Salmos Jeremias
História do dilúvio Rute Provérbios Lamentações
Abraão 1 e 2Samuel Eclesiastes Ezequiel
Sara Ana Cânticos dos Cânticos Daniel
Jacó Davi Oséias
José 1 e 2Reis Joel
Êxodo O Templo de Salomão Amós
Moisés Reis de Israel e Judá A justiça e o pobre
Os dez Mandamentos 1 e 2Crônicas Obadias
Levítico O canal de Ezequias Jonas
Sacrifícios Esdras Miquéias
Sacerdócio O escriba Naum
As grandes festas Neemias Habacuque
Números Ester Sofonias
As codornizes Ageu
Vida nômade Zacarias
Deuteronômio Malaquias
Alianças e tratados
A terra prometida    ⇓  ⇓  ⇓
Estes livros contêm histórias sobre o mundo, o grande dilúvio e os pais (e mães!) da nação de Israel (Gênesis); a escravidão no Egito e o êxodo (Êxodo): e os 40 anos de peregrinação no deserto do Sinai (Números; Deuteronômio).
Eles também registram o dom da lei de Deus para o seu povo resumido nos Dez Mandamentos (Êxodo; Deuteronômio) e regras detalhadas para sacrifício e adoração, centrados no tabernáculo (tenda especial de Deus) (Êxodo; Levítico).
Horús
Horús, simbolizado por este olho, era um dos deuses do Egito, onde os israelitas foram escravizados.
Começando com a conquista da terra prometida (Josué), estes livros dão continuidade à história da nação, de seus heróis e daqueles que falharam para com a nação ao desviá-la de Deus. O período de liderança  dos "juízes" (Gideão, Sansão e outros) termina com Samuel, que ungiu os primeiros reis de Israel. Depois dos reis Saul, Davi e Salomão(1 e 2Samuel; 1Reis), as dez tribos do Norte se separaram e formaram o Reino de Israel, enquanto a linhagem de Davi continuou em Judá. A queda de Samaria nas mãos da Assíria marcou o fim de Israel. Mas um remanescente de Judá sobreviveu à destruição de Jerusalém e retornou do exílio na Babilônia. Renovando sua obediência à lei de Deus, reconstruíram o Templo e as muralhas da cidade (Esdras; Neemias).
Estes livros contêm a maior parte da poesia da Bíblia e a sabedoria (grande parte em forma de provérbios: Provérbios, Eclesiastes) que era bastante popular no Oriente Próximo antigo por volta da época do Rei Salomão. Jó é uma dramatização poética sobre o sofrimento. Salmos é um livro de hinos. Cântico dos Cânticos é poesia romântica lírica.
Os profetas traziam a palavra de Deus a seu povo: advertindo sobre o julgamento (quando o povo se desviava de Deus) incentivando com esperança e promessas (nos momentos difíceis). A maioria viveu nos séculos 8 e 7 a.C., quando a nação estava sob ameaça primeiro dos assírios  e depois dos babilônios. Amós falou pela justiça a favor dos pobres. Alguns pertencem ao período do retorno do exílio. Várias profecias (as mais conhecidas estão em Isaías) preveem a vinda do Messias, que Deus enviaria para libertar seu povo e reinar com justiça e paz.

O povo de Israel muitas vezes trocou o Deus verdadeiro por ídolos. Esta é uma imagem de Baal, deus dos cananeus.















































Durante todo o período de AT - desde o tempo do êxodo, quando o povo persuadiu Arão a fazer um bezerro semelhante aos que representavam o deus Apís, do Egito, até a época dos profetas - o povo de Israel teve muitas dificuldades para cumprir a promessa de adorar somente o Deus verdadeiro.
Os escribas copiavam o AT à mão. Escreviam coluna após coluna em pedaços de pergaminho que, como este rolo, eram enrolados e guardados nas sinagogas.









O shofar, feito de
chifre de carneiro,
era tocado para
chamar os israelitas
à batalha e festas solenes.
 AS GRANDES FESTAS RELIGIOSAS

                                                                                               

























Veja também:


DESERTO DE SUR

O povo de Deus aprendeu duras lições durante a peregrinação no deserto, onde as condições adversas ressaltava que eles dependiam de Deus até para as necessidades básicas da vida. Este é o Deserto de Sur por onde os israelitas andaram após a travessia do mar Vermelho rumo ao Monte Sinai. (Êx 15.22) Ver mais: O Exílio























Continue seu estudo leia também sobre ⇓





DESTAQUE NO SITE

JESUS numa sociedade pluralista

Na Palestina do tempo de Jesus, a sociedade era diversificada, mais ou menos como a nossa. Em Cesaréia de Filipe, onde Pedro confe...

MAIS ACESSADOS