Costumes Bíblicos: O Espírito Santo em Atos

Aprenda Hebraico Online

O Espírito Santo em Atos

O Espírito Santo em Atos
O Espírito Santo aparece tantas vezes em Atos que o título do livro poderia ser ampliado para "Os atos de Cristo ressuscitado, realizados pelo Espírito Santo através dos apóstolos".
Pessoa Divina
O Espírito não é um poder abstrato, mas uma pessoa. Ele faz o que somente uma pessoa pode fazer: fala (1.16; 8.29; 10.19, etc.), capacita outros a falar (2.4; 4.8,31, etc.), dá testemunho (5.32), envia obreiros cristãos (13.4), impede que se faça certas coisas (16.6-7) e nomeia pessoas para servir na Igreja (20.28). Ele atua em conjunto com seres humanos (15.28) e ao mesmo tempo é um com Deus e igual a ele (5.3,9).
O agente de Cristo     
CLICK ↓
O que você precisa saber sobre seu companheiro de todos os dias, o Espírito Santo
At 1.1 parece dar a entender que a obra de Jesus após a ascensão continuou através do Espírito Santo. O Espírito é o dom que o Cristo que subiu ao céu enviou aos seus discípulos (2.33; veja Jo 7.39) e é chamado de "Espírito de Jesus" (16.7; veja Rm 8.9). Ele também é chamado de "a promessa do Pai" (1.4; veja Lc 24.49).
O criador da Igreja
A Igreja tal como conhecemos hoje começou no dia de Pentecostes. Vento e fogo (2.2-3) são símbolos da divindade no AT (veja Êx 19.18; 1Rs 19.11-12). "Línguas", isto é, a habilidade de falar línguas diferentes (At 2.4-13), podem ter sido a maneira que Deus escolheu para indicar a universalidade da Igreja, sua presença entre povos de todas as línguas. (Há várias maneiras de entender o relacionamento entre as "línguas" de Atos e aquelas que havia em Corinto: 1Co 12--14.) O Espírito cria uma comunhão de amor e unidade (At 2.43-46) e é prometido àqueles que aceitam o evangelho (2.38; veja também 5.32).
O Espírito une
Lucas acompanha com grande interesse o progresso do evangelho e a consequente expansão da Igreja através da atividade do Espírito.
A igreja sobre qual o Espírito veio em Pentecostes era composta de judeus e prosélitos (gentios que se haviam convertido ao judaísmo e eram considerados judeus; 2.11). Logo outros grupos foram agregados.
Os judeus detestavam os samaritanos, gente de raça mista e de religião cismática, mas em At 8.14-17 o Espírito desceu sobre crentes samaritanos. Isso só aconteceu depois que os apóstolos (judeus) impuseram as suas mãos sobre eles, indicando amor e comunhão da parte deles e também o fato de que "a salvação vem dos judeus" (Jo 4.22). (Também no seu Evangelho Lucas revela uma atitude positiva com relação aos samaritanos: Lc 9.51-56; 10.33; 17.15-16.)
Em Atos, a parede que separava judeus e gentios foi derrubada (10.44-48; veja também 11.1-18) quando os fenômenos do dia de Pentecostes ocorreram uma segunda vez enquanto Pedro pregava aos gentios. (O Evangelho de Lucas registra o sermão que Jesus pregou em Nazaré, mostrando o quanto Deus se interessa pelos gentios - Lc 4.24-27 - e o elogio que Jesus faz a um centurião romano - Lc 7.1-10).
A promessa do Espírito foi feita inicialmente através de João Batista (Lc 3.16; veja At 1.5; 11.16). Assim, Lucas registra em At 19.1-7, como um grupo dos discípulos de João também recebeu o Espírito.
Essas passagens revelam como o Espírito une esses grupos divergentes, impedindo que se instaurem divisões na jovem Igreja. O poder unificador de Cristo aparece como uma grande realidade. O falar em línguas (registrado por Lucas em duas dessas ocasiões: 10.44-46; 19.6) mostra que esses grupos estão em pé de igualdade com os judeus e prosélitos convertidos no Pentecostes. Pedro deixa isso claro quando se refere à conversão dos gentios (11.15-18).
O poder que sustenta o testemunho da Igreja
O Espírito Santo foi dado à Igreja para capacitar homens e mulheres a darem testemunho de Cristo (1.8; veja 4.33). Cheios do Espírito, falam com poder (2.4, 14-40; 4.8,31; 6.10). Mas a expressão "cheios do Espírito" também se aplica a alguns cristãos cuja qualidade de caráter os capacita de forma especial para várias formas de serviço (6.3,5; 11.22-24). Assim, o Espírito Santo em sua plenitude dá às pessoas poder para revelarem Cristo com palavras e com ações.
Em algumas ocasiões os cristãos receberam ordens de pregar o evangelho a determinadas pessoas (At 8.29; 10.19-20), mas Lucas não diz como receberam essas instruções. Mas o relato de At 13.1-3 deixa claro que a Igreja foi direcionada pelo Espírito a enviar Barnabé e Saulo para evangelizar os gentios, provavelmente através da palavra de um profeta presente na igreja de Antioquia.
Atos também nos informa que Ágapo tinha o dom de predizer acontecimentos (11.27-28; 21.10-11; veja 21.4). A segunda profecia dele se cumpriu, não tanto de forma literal quanto em seu conteúdo essencial, pois Paulo foi preso por gentios. Quatro profetisas, filhas de Filipe, são mencionadas em At 21.8-9, e os discípulos de João em Éfeso profetizavam e falavam em línguas (19.6).
O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração,
A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.
Lucas 4:18-19
Há registro de curas e outros milagres feitos pelos apóstolos (p.ex., 3.6-7); 5.12-16; 19.11-12) sem referência específica ao Espírito Santo, embora sem dúvida fossem resultado de sua ação.A profecia não estava relacionada apenas com previsões, mas também com encorajamento e fortalecimento do Igreja (154.32; veja 1Co 14.3). Toda essa atividade profética ilustra o cumprimento da promessa feita pelo profeta Joel: "Nos últimos dias... derramarei do meu Espírito sobre toda a carne" (At 2.17-21).
A vida da Igreja
O Espírito de Deus se ocupava com a vida da Igreja em todos os lugares, fortalecendo, incentivando e capacitando a Igreja a crescer (9.31).
Foi o Espírito quem constituiu presbíteros sobre a Igreja, para que a pastoreassem (20.28).
A igreja reunida buscou orientação sobre uma questão de grande importância e estava certa de que a decisão lhe veio através do Espírito Santo (15.28). Nessa ocasião, nada nos é dito a respeito de atividade profética. Houve, isto sim, discussão, análise da evidente ação de Deus, e estudo das Escrituras do AT.
Quando se trata da pessoa e atividade do Espírito Santo, nenhum livro do NT é tão revelador quanto Atos. Ele registra um cumprimento que é também um novo início. As profecias do AT (p.ex. Jl 2.28-32) e as promessas do Senhor Jesus (p.ex. Jo 14.16) sobre o Espírito Santo e se cumpriram em Pentecostes. A era do Espírito, pregada por Jesus e tão evidente nas cartas do NT, havia começado.
RECOMENDADO: 

DESTAQUE NO SITE

INTRODUÇÃO AO INFERNO

Por que o inferno existe? A justiça de Deus exige um inferno . Além de afirmações diretas, as Escrituras oferecem motivos para a existê...

MAIS ACESSADOS