Costumes Bíblicos: Milagres e Parábolas

Israel Institute of Biblical Studies

Milagres e Parábolas

MILAGRES DE JESUS


Curas Mateus Marcos Lucas João
Um homem leproso 8.1-4 1.40-42 5.12-13
O criado do centurião 8.5-13 7.1-10
A sogra de Pedro 8.14-15 1.30-31 4.38-39
Dois endemoninhados 8.28-34 5.1-15 8.26-35
Um paralítico 9.2-7 2.3-12 6.18-25
A mulher com fluxo de sangue 9.20-22 5.25-29 8.43-48
Dois cegos 9.27-31
Um endemoninhado mudo 9.32-33
O homem com a mão ressequida 12.10-13 3.1-5 6.6-10
Um endemoninhado cego e mudo 12.22 11.14
A filha da mulher cananéia 15.21-28 7.24-30
Um jovem possesso 17.14-18 9.17-29 9.38-43
Dois cegos (incluindo Bartimeu) 20.29-34 10.46-52 18.35-43
Um endemoninhado em Cafarnaum 1.23-26 4.33-35
O surdo e gago 7.32-37
Um cego em Betsaida 8.22-26
Uma mulher enferma 13.11-13
Um hidrópico 14.1-4
Dez leprosos 17.11-19
O servo do sumo sacerdote 22.50-51
O filho de um oficial do rei 4.46-54
Um paralítico 5.1-9
Um cego de nascença 9.1-7
Sobre a natureza
Uma tempestade é acalmada 8.23-27 4.37-41 8.22-25
A primeira multiplicação dos pães 14.15-21 6.35-44 9.12-17 6.6-13
A segunda multiplicação dos pães 15.32-38 8.1-9
Jesus caminha sobre o mar 14.25-33 6.48-51 6.19-21
A moeda no peixe 17.24-27
A figueira seca 21.18-22 11.12-14,20-25
A grande pesca 5.4-11
Água transformada em vinho 2.1-11
Outra grande pesca 21.1-11
Ressurreição de mortos
A filha de Jairo 9.18-19,23-25 5.22-24,38-42 8.41-42,49-56
O filho da viúva de Naim 7.11-15
Lázaro 11.1-44

A SEQUÊNCIA DE ACONTECIMENTOS
Figura da placa
1.Audiência com Anás, sogro do sumo sacerdote Caifás (Jo 18.12-14).
2.Uma sessão noturna na casa de Caifás, com todo o Sinédrio (Mt 26.57-68; Mc 14.53-65; Lc 22.54-65; Jo 18.24).
3.Ratificação da sentença do Sinédrio, de madrugada (Mt 27.1; Mc 15.1; Lc 22.66-71).
4.Jesus comparece diante de Pilatos (Mt 27.2, 11-14; Mc 15.2-5; Lc 23.1-5; Jo 18.28-38).
5.Pilatos envia Jesus a Herodes, por ser Jesus um galileu (Lc 23.6-12).
6.Jesus diante de Pilatos, outra vez. É açoitado, condenado e entregue aos soldados (Mt 27.15-26; Mc 15.6-15; Lc 23.13-25; Jo 18.29 - 19.26).



AS PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ
Os Evangelhos registram sete "palavras que Jesus pronunciou na cruz, das quais Marcos menciona apenas uma.
1."Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lc 23.34) - oração pelo povo judeu e pelos soldados romanos.
2."Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso" (Lc 23.43) - palavras dirigidas ao ladrão arrependido, crucificado ao seu lado.
3."Mulher, eis aí teu filho!" - "Eis aí tua mãe" (Jo 19.26-27) - entregando sua mãe aos cuidados de João.
4."Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mt 27.46; Mc 15.34) - expressando, com palavras de Sl 22.1, a agonia da separação do Pai, ao "tirar o pecado do mundo".
5."Tenho sede!" (Jo 19.28)
6."Está consumado!" (Jo 19.30)
7."Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!" (Lc 23.46)



O general Gordon, no final do séc.19, sugeriu que essa saliência rochosa que se parece com uma caveira, e que fica além dos muros da Cidade Antiga, em Jerusalém, poderia ser Gólgota ("Monte da caveira") onde Jesus foi crucificado.



























AS PARÁBOLAS DE JESUS
 imagens de parábolas 


Mateus
Marcos Lucas
A candeia em lugar oculto 5.15 4.21 8.16
A porta larga e a estreita 7.13-14 13.23-30
A casa sobre a areia ou sobre a rocha 7.24-29 6.47-49
O remendo de pano novo 9.16
Vinho novo em odres novos 9.17 2.22 5.37-38
O semeador 13.3-9,18-23 4.2-9,13-20 8.5-8,11-15
Joio no meio do trigo 13.24-30
A semente de mostarda 13.31-32 4.30-32 13.18-19
O fermento 13.33
O tesouro escondido 13.44
A pérola de grande valor 13.45-46
A rede 13.47-50
O credor incompassivo 18.23-35
Os trabalhadores da vinha 20.1-16
Os dois filhos 21.28-32
Os lavradores maus 21.33-46 12.1-12 20.9-19
As bodas 22.2-14
A figueira 24.32-33 13.28-29 21.29-31
As dez virgens 25.1-13
Os talentos 25.14-30 19.11-27
Ovelhas e cabritos 25.31-36
O crescimento da semente 4.26-29
Os dois devedores 7.41-43
O bom samaritano 10.29-37
O amigo importuno 11.5-8
O rico louco 12.16-21
Os servos vigilantes 12.35-40
O mordomo fiel 12.42-48
A figueira sem fruto 13.6-9
Os primeiros lugares e a grande ceia 14.7-24
Calculando os custos 14.28-32
A ovelha perdida 15.3-7
A dracma perdida 15.8-10
O filho pródigo 15.11-32
O administrador infiel 16.1-9
O rico e Lázaro 16.19-31
O servo e o seu dever 17.7-10
A viúva e o juiz 18.1-8
O fariseu e o publicano 18.9-14

DESTAQUE NO SITE

JESUS numa sociedade pluralista

Na Palestina do tempo de Jesus, a sociedade era diversificada, mais ou menos como a nossa. Em Cesaréia de Filipe, onde Pedro confe...

MAIS ACESSADOS