Costumes Bíblicos: Entendendo Isaías

Entendendo Isaías


Entre aqueles velhos rolos encontrava-se um pergaminho com oito metros de comprimento por 25 centímetro de largura. Era o livro do profeta Isaías!
Entendendo Isaías
Muitos leitores consideram o livro de Isaías difícil de entender. Ele contém muitas passagens bastantes conhecidas, mas sua forma geral é complicada.
Um livro: três partes
Uma maneira de encontrar certa ordem é observar que o livro se divide em três seções principais. Os caps. 1 _ 39 se relacionam, em grande parte, com Judá e jerusalém ao tempo da monarquia. Os caps. 40 _ 55 condizem com o período do exílio na Babilônia. E os caps. 56 _ 66 nos levam  de volta a Jerusalém, mas no tempo da restauração após o exílio. Muitos estudiosos acreditam que isto reflete o trabalho  de vários autores.
Quer isto seja verdadeiro ou não, o que se sabe com certeza é que existe uma diferença de localização e, portanto, de ambiente entre as diferentes partes.
 Na primeira parte, temos a impressão que Isaías teria gostado de trazer boas notícias para seus ouvintes, mas não podia fazê-lo porque eles rejeitaram a mensagem dele. Assim, ele a colocou por escrito, para que pudesse ser útil mais tarde. Desta forma, o povo perceberia que o juízo que ocorreu realmente provinha de Deus, Isto poderia levá-los a crer que Deus tinha condições de lhes trazer a salvação que havia prometido. Veja especialmente 8. 16-18 e 30.8-14. Esta última passagem mostra (v. 8) que Isaías percebeu que isto aconteceria muito depois de sua morte.
 A segunda parte do livro anuncia que este tempo de salvação finalmente chegou. É como se o livro que Isaías "selou" agora pudesse ser aberto e uma mensagem mais positiva, proclamada. Muitos dos temas da primeira parte do livro são retomados, mas enquanto antes falavam de castigo, agora falam de restauração.
Para dois exemplos, compare 5.26 com 49.22 e 6.9-10 com 43.8.
Porém, a promessa segue o juízo, não o substitui. Assim, as duas partes do livro precisam ser unidas para se ter a mensagem completa. Isto ajuda a explicar por que passagens que soam como se pertencessem à segunda parte do livro aparecem nos trechos finais da primeira (p.ex., caps. 12; 35). Ilustram em escala reduzida a visão mais ampla do livro como um todo.
 Na última parte do livro, no entanto, descobrimos que os ouvintes começam a ser divididos em dois grupos, os justos e os ímpios. Como leitores, estamos sendo desafiados, por assim dizer, a avaliar se pertencemos à primeira seção do livro, sob juízo, ou à segunda, como destinatários da promessa.
A apresentação dos temas
O primeiro capítulo serve para apresentar esses temas aos leitores. De sua forma geral podemos deduzir um padrão que se destina a ajudar o leitor a se localizar no extenso material que se segue.
Este primeiro capítulo tem, também, três seções.
 Primeiro (vs. 2-9) lemos sobre a queixa que Deus tem contra seu povo, e que o pecado deles trará juízo na forma de derrota militar; na verdade, isto já está acontecendo! E "nós" (v. 9) somos aqueles que acabaram de escapar por pouco. Isto corresponde à primeira seção do livro como um todo.
 Depois, os vs. 10-20 mostram que não é suficiente responder apenas com mais ritos religiosos. Deus quer uma mudança completa de estilo de vida, um estilo caracterizado por pureza de conduta e amor pela justiça. "Se forem humildes e me obedecerem" (v. 19), pode haver perdão completo em relação ao passado.
 Finalmente, assim como a terceira parte do livro como um todo, os vs. 21-31 mostram que os leitores estão divididos em duas categorias, e que Deus está fazendo distinção entre eles. Os "rebeldes e pecadores" serão destruídos (v. 28), mas também existem, em Sião, os que serão redimidos (v. 27).
Portanto, ao lermos o livro à luz desta introdução, somos desafiados a lê-lo de forma responsiva - dando ouvidos às advertências e apropriando-se das promessas. Entender a forma do livro não é apenas um exercício intelectual; é literalmente uma questão de vida ou morte.

DESTAQUE NO SITE

JESUS e a Lei

Jesus rejeitou a  Lei? Não. Veja: Mt 5.17; Jo 14.10; 14.21; Rm 7.12; Gn 26.5; Ex 31.18  Alguns cristãos acreditam equivocadament...

MAIS ACESSADOS