Costumes Bíblicos: Pessoas como Administradoras da Criação

Pessoas como Administradoras da Criação

Pessoas Como Administradoras da Criação!
O relato do Gênesis deixa bem claro que os seres humanos foram criados para cuidarem da Terra, e não para destruí-la.
Em meio à terrível destruição do meio ambiente, à poluição e ao extermínio de espécies que verificam em nossos dias, é bom voltar ao Gênesis e ver como as coisas eram no princípio: "Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar" (Gn 2.15).
O verbo hebraico abad, traduzido por "cultivar", também pode significar "servir", e o verbo shamar, traduzido por "guardar", dá a idéia de observar ou preservar. A instrução dada às primeiras pessoas foi no sentido de servir e preservar o solo. Deus deu à humanidade domínio sobre o resto da criação, para cuidar dela, e não para destruí-la.
Segue-se que cuidar da criação é uma responsabilidade cristã em nossos dias, pois aqueles que conhecem o Criador deveriam ser os primeiros a tomarem a dianteira na proteção daquilo que Ele criou.
Gn 2.9 diz: "Do solo fez o Senhor Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento".
É significativo que, neste texto, o aspecto utilitário não aparece em primeiro lugar. O propósito das árvores era, em primeiro lugar, estético, pois elas deviam ser agradáveis à vista. Hoje, parece que não somos afetados pelo fato de hectares e mais hectares de floresta tropical serem derrubados a cada dia que passa. No entanto, o texto também indica  que as árvores se destinavam à alimentação, e nisto podemos, com certeza, incluir a madeira, o látex e muitos outros produtos que elas nos fornecem. Não devemos fazer uso exagerado ou além da conta desses recursos, mas também deixar árvores de pé para que formem uma paisagem bonita e nos dêem sombra.
A responsabilidade que a humanidade tem por todas as criaturas foi re-enfatizada na aliança que Deus fez com Noé após o dilúvio. Este pacto não foi feito apenas entre seres humanos e Deus, mas incluía "todos os seres viventes que estão convosco, para perpétuas gerações" (Gn 9.12). "Eis que estabeleço a minha aliança convosco, e com a vossa descendência, e com todos os seres viventes que estão convosco: tanto as aves, os animais domésticos e os animais selváticos que saíram da arca como todos os animais da terra" (Gn 9.9-10). Visto que esta aliança foi feita com todas as criaturas, temos a responsabilidade de zelar por elas, tratando de evitar que espécies sejam extintas por abuso ou destruição de seu habitat.
Temos de cuidar da criação porque ela pertence a Deus, não a nós. "Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém": assim começa o Sl 24. Devemos, igualmente, cuidar da criação porque Cristo é "o primogênito de toda a criação" (Cl 1.15) e "nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra... Tudo foi criado por meio dele e para ele". Somos, hoje, conclamados a sermos seus curadores ou mordomos de sua criação - até que Ele venha.

QUAL FOI O TRABALHO DE ADÃO NO ÉDEN? (*)

De acordo com a maioria das traduções em inglês, Gênesis 2:15 diz que Deus pegou “o humano” ( האדם ; ha'adam) e “colocou-o no Jardim do Éden para cultivá-lo e mantê-lo ( לעבדה ולשמרה ; le'avdah u'leshamrah ) . Nessa renderização, o primeiro ser humano é colocado no jardim para trabalhar a terra e cuidar de sua produção. No entanto, uma tradução alternativa das palavras hebraicas para “cultivar” ( עבד ; avad ) e “manter” ( שׁמר ; shamar ) seria “adorar e obedecer”. Com base no contexto de Gênesis, é razoável supor que os dois pares de significados estão em jogo:Deus colocou Adão no jardim não apenas para ajudar a terra a florescer, mas também para manter um relacionamento de adoração e obediência com o Senhor.
Deus pretendia que o primeiro humano supervisionasse a criação e a ideia de “cultivar e manter” o jardim se encaixa com a noção de adorar e obedecer ao Criador de tudo. Como um ato de serviço, Adão não apenas cultiva o jardim, mas também enriquece o vínculo entre ele e Deus. Os termos לעבדה ולשמרה também são usados ​​para a tarefa levítica do ministério no Templo (cf. Números 3: 8 ). O uso semelhante de linguagem em Gênesis 2:15 e Números 3: 8 sugere que o Jardim do Éden poderia ser visto como um templo de Deus no qual o primeiro ser humano servia em uma função sacerdotal.
Assim, Adão foi encarregado de manter um ambiente no Jardim do Éden que conduzisse ao seu bem-estar espiritual e físico. Em outras palavras, tanto “cultivar e manter” quanto “adorar e obedecer” são traduções apropriadas, pois revelam o papel crítico do primeiro ser humano no desenvolvimento e manutenção da comunhão divino-humana. (*Este texto é parte de um artigo publicado por Dra. Ashley E. Lyon em Israel Bible Center-Editado aqui por Costumes Bíblicos-Conheça os cursos do Hebraico Bíblico)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

DESTAQUE NO SITE

As grandes festas religiosas

As principais festas religiosas de Israel estavam intimamente relacionadas com as diferentes estações e com o ano agrícola (Veja "O...