Costumes Bíblicos: A rebelião de Absalão

A rebelião de Absalão

A rebelião de Absalão
Após planejar por dois anos, Absalão, filho de Davi e irmão pleno de Tamar, planejou e executou a morte de seu meio-irmão, Amnom. Absalão, então, fugiu para a terra de Gesur, onde ficou por três anos. (2Sm 13.22-39).
Novamente, Davi parecia incapaz de agir e não fez nada além de lamentar a perda de um filho e a ausência de outro.
Rebelião (2Sm 14--20).
A reconciliação (2Sm 14.1-33)
Uma mãe, enviada por Joabe, enganou Davi, fazendo-o trazer Absalão do exílio. Ela buscava obter o favor do rei, fingindo ter dois filhos, tendo um assassinado o outro. Davi garantiu-lhe que, ao retornar, o filho rebelde não seria punido.
A mulher, então, imediatamente aplicou a lição da parábola a Davi.
Davi abre as portas para Absalão
Joabe venceu a resistência do rei assim como Natã fizera, mas o fez com pleito judicial inventado. Desta vez o apelo foi para que o rei anulasse o dever do parente mais próximo de vingar seu parente assassinado. A mensagem para Davi era óbvia. Ele estava disposto a passar por cima da lei no caso de um dos seus súditos; logo, por que não faze-lo no caso do seu próximo herdeiro?
Joabe conseguiu o que queria e Absalão voltou do exílio. Mas dois longos e frustantes anos se passaram até que fosse admitido à presença de seu pai. O relacionamento entre os dois havia sofrido danos consideráveis.
Absalão teve permissão para voltar; mas, por dois longos anos, seu pai recusou-se a vê-lo.
Por fim, depois que Absalão queimou o campo de cevada de Joabe para chamar atenção, Davi concordou em encontrar o filho.
O rei e Absalão reconciliaram-se.
A revolta (2Sm 15.1-12).
Os políticos liderando a revolta (2Sm 15.1-6).
O local da revolta.
Após um período de quatro anos de preparação, Absalão foi à cidade de Hebrom, soou uma trombeta e declarou a revolta contra o pai.
A recuada (2Sm 15.13-17).
A resolução.
Em uma das pontas da cidade, Davi subitamente percebeu que seu amigo estrangeiro, Itai, que estava visitando Jerusalém da cidade filisteia de Gate, estava acompanhando o rei juntamente com 600 guerreiros geteus que o servia (2Sm 15.18-22).
O conselho de Davi (2Sm 15.19,20).
A resposta de Itai (2Sm 15.21).
O insultado.
Simei, membro da família de Saul, encontrou Davi e lançou maldições e pedras contra o rei.
Abisai, soldado de Davi, pediu permissão para matar Simei por seus insultos.
O pedido (2Sm 16.9).
A negação (2Sm 16.11,12).
A derrota (2Sm 18.1-8).
As experientes tropas de Davi encontraram os soldados sem experiência de Absalão no campo de batalha no bosque de Efraim.
A preocupação do povo pelo rei (2Sm 18.2,3).
A preocupação do rei pelo filho (2Sm 18.5).
As mortes resultantes da batalha.
Os homens de Davi mataram 20 mil soldados de Absalão.
Um número maior que este morreu de fome, exposição e exaustão por terem sido espalhados na desolada e hostil região rural de Efraim.
A represália (2Sm 18.9-18).
Apesar do plano de Davi envolvendo o filho, Joabe encontrou Absalão preso pelo cabelo nos ramos de uma grande árvore e matou-o cravando três adagas no seu coração.
As represálias (2Sm 18.19--19.7).
A angústia de Davi (2Sm 18.33).
A ira de Joabe (2Sm 19.5-7). 

DESTAQUE NO SITE

JESUS e a Lei

Jesus rejeitou a  Lei? Não. Veja: Mt 5.17; Jo 14.10; 14.21; Rm 7.12; Gn 26.5; Ex 31.18  Alguns cristãos acreditam equivocadament...

MAIS ACESSADOS