Costumes Bíblicos: As Condições do FIM - Daniel 12

Israel Institute of Biblical Studies

CANAL DO SITE

As Condições do FIM - Daniel 12

AS CONDIÇÕES DO FIM  - Daniel 12

[...] E haverá um tempo de angústia, qual nunca houve [...] (Dn 12.1)
AQUELE QUE AUXILIA EM MEIO À TRIBULAÇÃO
O arcanjo Miguel (12.1).
A EXTENSÃO DA TRIBULAÇÃO
Há três períodos de tempo especificados e listados abaixo, relativos à tribulação e eventos subsequentes.
1.260 dias (12.7) Uma referência ao pior momento da tribulação, seus últimos três anos e meio.
1.290 dias (12.11) Uma referência ao primeiro período e mais 30 dias adicionais,provavelmente necessários para conduzir os muitos julgamentos de judeus, gentios e anjos.
1.335 dias (12.12) Uma referência ao segundo período e mais 45 dias adicionais, provavelmente consumidos no preparo do governo milenar.
INTERESSE NA TRIBULAÇÃO
Tanto anjos como profetas do Antigo Testamento (12.5-8).
A SALVAÇÃO DURANTE A TRIBULAÇÃO
[...] Todo aquele que se achar escrito no livro (Dn 12.1). Muitos serão purificados, e embranquecidos [...] (Dn 12.10).
OS SINAIS PRENUNCIANDO A TRIBULAÇÃO
Um aumento na velocidade (12.4).
Um aumento no conhecimento (12.4).
AS RESSURREIÇÕES QUE SE SEGUIRÃO À TRIBULAÇÃO (12.2,3).
No começo do milênio.
A ressurreição dos santos do Antigo Testamento e da tribulação.
Ao final do milênio
A ressurreição de todos os mortos não salvos.

O Ministério de Miguel (Dn 12.1).

Miguel é o anjo da guarda de Israel.
Ele ajudará a libertar a nação israelita em meio ao pior momento da história humana desde a criação do mundo.
Jesus citou esse versículo ao falar sobre esse futuro momento infernal (veja Mt 24.21,22). Será Miguel quem expulsará Satanás dos céus durante a tribulação (Ap 12.7). Em seguida, esse herói celestial aparentemente ajudará um terço dos israelitas a escaparem do anticristo e a fugirem para Petra (veja Zc 13.8,9; Ap 12.14).
Esses israelitas já têm seus nomes no Livro da Vida do Cordeiro (veja também Êx 32.32; Sl 69.28; Mt 24.22; Lc 10.20; Ap 20.12).

As Duas Ressurreições (Dn 12.2,3).

Outras passagens do Antigo Testamento e do Novo Testamento deixam claro que essas duas ressurreições não ocorrem ao mesmo tempo, mas são separadas por um período de mil anos. (Veja O REINO DE CRISTO NO MILÊNIO) Nenhuma dessas duas ressurreições refere-se ao arrebatamento. [Ou seja, ao encontro com o SENHOR nos ares! Veja O ARREBATAMENTO, na interpretação do Hebraico Bíblico)
  • A ressurreição daqueles que ganharão a vida eterna. Isso ocorrerá no começo do milênio e incluirá todos os santos do Antigo Testamento, bem como aqueles martirizados durante a tribulação (veja Jó 19.25,26; Sl 49.15; Is 25.8; 26.19; Os 13.14; Hb 11.35; Ap 20.4,6). A recompensa de todos os conquistadores de almas justos é mencionado em Daniel 12.3.
  • A ressurreição daqueles que serão punidos com a vergonha e o desprezo eternos. Isso acontecerá depois do milênio e incluirá todas as pessoas descrentes que já viveram (veja Ap 20.5). Nosso Senhor resume essas duas ressurreições em João 5.28,29.

As Duas Profecias (Dn 12.4).Os Três Períodos de Tempo (Dn 12.5-13).

1.260 dias (um tempo, de tempos e metade de um tempo; veja Dn 12.7). Daniel vê dois outros anjos que estiveram ouvindo essa conferência profética conduzida pelo poderoso anjo junto ao idoso estadista. Os anjos mostram-se muito interessado no plano de Deus para a salvação (1Pe 1.12), tanto que um desses dois anjos pergunta subitamente quanto tempo a terrível tribulação profetizada durará (Dn 12.6). Nenhum dos dois, aparentemente, escutou os detalhes da visão das Setenta Semanas em Daniel 9.24-27.
O anjo poderoso informa-os que metade dessa horrível tribulação durará o quanto for necessário para quebrantar o orgulho e o poder dos judeus, os três anos e meio (Dn 12.7).
1.290 dias (Dn 12.11).
Esse período refere-se ao mesmo mencionado acima, mas lhe adiciona 30 dias. Parece-nos razoável concluir que esse mês acrescido será necessário para realizar o julgamento que separará os bodes das ovelhas, mencionado em Mateus 25.31-46. Contudo, isso não é certo.
1.335 dias (Dn 12.12).
Adiciona-se uma vez mais uma quantidade de dias sobre o período anterior. Agora são 45 sobre os 30 anteriormente acrescidos. Que necessidade ocupará esse momento? Talvez seja o tempo necessário para organizar as agências governamentais que farão vigorar o domínio de Cristo. O Dr. Franklin Logsdon explica esses 75 dias acrescidos aos três anos e meio:
Nós aqui, nos Estados Unidos, temos uma analogia nacional. O presidente é eleito no começo de novembro, mas não assume o cargo antes de 20 de Janeiro. Há um intervalo de 70 dias, durante o qual ele dedica-se à escolha dos membros de seu gabinete, de emissários estrangeiros e de outros que comporão seu governo. No período de 75 dias, entre o término da grande tribulação e coroação, o Rei da glória tratará de questões similares. (Profiles in Prophecy.p.81)

As quatro conclusões finais.

O poderoso anjo levanta suas duas mãos para os céus, atestando a veracidade de tudo o que foi dito (Dn 12.7). O gesto habitual de levantar a mão aos céus demonstrava solenidade e importância (veja Gn 14.22; Dt 32.40). Entretanto, nessa passagem, as duas mãos são erguidas (veja também Ap 10.1-6).
Muitos serão purificados (salvos) durante a tribulação (Dn 12.10); Isso inclui judeus e gentios (veja Ap 7.1-17).
Os ímpios, contudo, continuarão com seus hábitos pecaminosos (Dn 12.10; veja Ap 9.20,21; 11.9,10).
Daniel deveria preservar cuidadosamente seus escritos (Dn 12.4), mas o sentido pleno deles não lhe seria revelado até o glorioso dia em que o próprio profeta se levantasse ao lado dos jutos, à espera de sua herança (Dn 12.9,13). (Veja DANIEL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

DESTAQUE NO SITE

A Páscoa e a Última Ceia

A Páscoa e a Última Ceia De todas as festas judaicas, a Páscoa é a mais importante (veja "As grandes festas religiosas" ). Oit...