Costumes Bíblicos: O MISTERIOSO MANÁ - A COMIDA DOS CÉUS





O MISTERIOSO MANÁ - A COMIDA DOS CÉUS

A Comida mais misteriosa da história humana!
Um alimento que literalmente caía dos céus.
O maná (em hebraico, מן, que é transliterado com mais precisão como mon ) era a substância comestível milagrosa que caía todos os dias do céu durante o período de 40 anos entre o Êxodo e a conquista de Israel , fornecendo aos nossos ancestrais sustento ao longo de suas viagens. no deserto.
Existem grandes segredos com relação ao Maná.
Milagres inacreditáveis acompanhavam o Maná, desde o momento em que saía do firmamento, até a hora da digestão!!
Havia uma benção especial, que o povo de Israel fazia ao ingerir essa comida. Conta o Midrash (O Midrash é um dos níveis mais profundos de compreensão da Torá, da Bíblia. Nele existem milhares de relatos codificados, dos quais somente os iniciados podem compreender. O Midrash tem uma importância central na compreensão dos contextos bíblicos e preenche lacunas na visão filosófica do judaísmo.) A bênção que recitamos após cada refeição ("Bendito és Tu, D'us... que nutre o mundo inteiro com Sua bondade, com graça e com compaixão...") é a mesma bênção composta por Moisés em gratidão pelo maná.


Você sabe os milagres que acontecia com o Maná?
Qual o sabor que tinha o Maná?
E a diferença onde ele caía?
Quanto cada uma pessoa podia pegar para si?

Como o Maná caía dos Céus?

O povo de Israel sai do Egito no dia quinze do mês hebraico de Nissan. Só que eles saíram com pão ázimo. Eles tinham comida. Quanto tempo durou essa comida? 40 dias. E aí eles vêm, e reclamam. Moisés, se nós não temos comida, nós vamos morrer. Por que você nos tirou da terra do Egito? Pra morrer aqui no deserto? Nos devolve para o Egito! Um mês depois de seu êxodo do Egito, a comida dos israelitas acabou, e no domingo, 15º dia do mês de Iyar , eles se voltaram para Moisés e Arão em busca de comida. Naquela noite, um bando de aves milagrosamente chegou e, na manhã seguinte, uma substância comestível especial caiu do céu, que recebeu o nome de “maná”. Há uma opinião de que, embora as pessoas pedissem o sustento no dia 15 de Iyar , ainda restava um pouco de comida, e o maná só começou a cair três dias depois, no dia 18 de Iyar (que mais tarde se tornaria o dia de Lag BaOmer). Então nessa hora vem Deus e promete: Eu vou alimentar vocês! (Êx 16.4) Vai cair comida literalmente do céu. E é isso que acontece. Começa a cair Maná dos céus, ele cai desde o mês hebraico, o mês seguinte que é Yahar (Abril-Maio de nosso calendário) até a entrada na terra de Israel. Por 40 anos eles comeram isso! (Êx 16.35) - Imagina? Comer a mesma comida por 40 anos!
O Maná, ele cai de uma forma muito peculiar. Ele cai pela manhã com uma camada de orvalho por baixo (Êx 16.13) Cai o Maná e vem mais uma camada de orvalho por cima; ele vinha protegido. Deus não somente trazia esse alimento, como Ele ainda trazia de uma forma bonita, a gente pode falar quase numa bandeja! Para pessoa ficar feliz a forma como ela está sendo servida.
O maná era do tamanho de uma semente de coentro e da cor de um bedolach branco, que os comentários explicam ser um cristal fino.

Etimologia da palavra Maná

A primeira vez que as pessoas viram isso, o que elas falaram? [aqui você vai aprender um pouco do hebraico bíblico] o nome é Maná; em hebraico é Mon. O que é Mon? As pessoas falaram: Mon o que é isso? ou [מאן הו - מָן] "Man Hu" ou seja, o próprio nome Maná é: "O que significa isso?" (Êx 16.15). Outra explicação é: da onde isso veio? Como se fala isso em hebraico? Me Ayn Hu - de novo Maná - Mon! Agora, esse Maná, quando as pessoas viram, elas falam:  isso aqui é um alimento de príncipes! É um alimento das pessoas mais importantes! Como se chamava isso? Lechem (pão) abirim. Interessante é que as pessoas começaram a perceber que tem aqui uma coisa fabulosa, uma coisa especial esse Lechem abirim que aparece na Bíblia essa expressão, também nos ensina que em hebraico bíblico a palavra órgão significa, eivarim (אייברים) o que acontecia?

O Poder Nutricional do Maná

Quando uma pessoa comia do Maná, o Maná alimentava todos os seus órgãos. E ele não produzia nada que não era estritamente necessário! Por isso até mesmo as pessoas não precisavam ir ao banheiro! Não tinha nenhuma parte que não era aproveitada!
No começo até ficaram um pouco assustados. Mas como é que os povos podiam saber o que estava acontecendo a ponto deles mesmos chamarem aqui é uma comida de príncipes!
O que acontece é que o Maná pela manhã sobrava porque Deus dava em abundância, o Maná que sobrava ele derretia junto com o orvalho e os animais que estavam no deserto, comiam do Maná, na verdade, estão bebendo água de um riacho de algum lugar, eles provavam o Maná e quando, por exemplo, uma gazela tinha comido isso, e foi cassada por um povo, e as pessoas comiam a carne da gazela, elas sentiam o sabor do Maná! E Deus fez isso propositadamente para as pessoas verem como Ele está tratando o povo de Israel, com amor muito grande. Aquela carne que pra ele já era saborosa, se tornou um ótimo manjar.

Leis sobre o Maná

Existiam algumas leis que tinham que ser cumpridas com relação ao Maná.
Nenhuma pessoa poderia armazenar maná. Era uma porção diária por dia. (Êx 16.22) Cada pessoa sabia quanto ele tinha que pegar; mas ele não tinha aqui uma balança pra saber! Então, cada pessoa pela manhã; se era uma família de cinco pessoas em casa, ele ia pegar para porção, aproximadamente para 5 pessoas dentro daquilo que Moisés falou que é o que cabe a cada pessoa e se ele pegasse de mais de uma forma que ele soubesse que ele ta exagerando, sabe o que acontecia? Ele apodrecia (o maná) e vinham vermes. O tempo de validade do Maná era 24 horas. A pessoa tinha que comer de um dia para o outro. No outro dia vai cair maná com uma exceção: A sexta-feira; no Sábado Deus não quer que as pessoas trabalhem, cozinhem, como está na Bíblia.
Na sexta-feira cai a porção da sexta-feira e do Shabbat (Sábado) e ainda está escrito que a porção do Sábado, era mais saborosa do que o dia da semana.

Sabor do Maná

Tem algo aqui que é espetacular que está escrito no Midrash. 
O Midrash conta, que na verdade, cada pessoa podia escolher, cada vez que ela está comendo o maná, o sabor que ela queria. Então, se ela queria hoje comer algo salgado, algo agridoce, esse gosto, esse sabor, então, na verdade, ela podia decidir o sabor que o maná tem em cada uma das refeições que ela fosse comer. A Torá descreve o sabor como sendo semelhante ao de algo frito em óleo e mel. O maná foi adaptado ao gosto de cada um; para o adulto tinha gosto de comida de adulto, enquanto para bebê tinha gosto de leite materno. Ao desejar, pode-se saborear no maná qualquer coisa desejada, seja carne, frutas ou grãos. Que coisa impressionante! Mas veja bem outro milagre que acontecia; imagina só duas famílias tem cinco filhos cada uma, aí vem o pai e ele foi catar o maná de acordo com a medida, ele não calculou bem e pegou um pouco mais, mas não aquele demais a mais. Não a ponto de que propositadamente falou que "vou pegar mais para sobrar para amanhã". Não. Isso não funciona. Por outro lado, o seu vizinho que também tinha 5 filhos, ele calculou errado para menos. A pessoa que pegou a mais e a pessoa que pegou a menos, no final, quando elas chegarem em casa, vai ser a medida exata do que cada pessoa precisa para comer para ficar satisfeita. Então, a pessoa que pegou mais e menos, no final, não fazia diferença. Todo mundo comia a mesma coisa, a mesma quantidade e saia satisfeito a nível de quantidade e a nível de qualidade.

Onde o Maná caía

Tem mais um detalhe incrível sobre o Maná.
Aonde ele caía? 
Podemos dizer que era no deserto aonde eles estavam. Mas não era bem assim. O Maná ele caía de acordo com quando uma pessoa era justo. Se uma pessoa era muito justa, muito bondosa, o maná caía bem próximo a sua casa. Porém, se uma pessoa está cometendo atos que não são bonitos, está fazendo muitos pecados, o maná caía mais longe de sua casa. O Maná também era um sinal do nível espiritual de cada pessoa. Por isso está escrito que Deus utiliza o Maná como uma prova. Na verdade, uma prova pessoal aonde eu estou espiritualmente. Porque se eu sei que hoje ele caiu do lado da minha tenda, é porque eu tive um dia excelente ontem. Mas se ele começou a se distanciar, significa que eu estou me distanciando de Deus. Eu tenho que corrigir os meus atos. O povo de Israel, parte das pessoas falou: isso é fantástico! Se eu estou errado eu tenho a capacidade de me consertar porque Deus me deu um sinal. Outras pessoas ficavam incomodadas e aborrecidas se as outras pessoas estavam observando que estava caindo longe. Então o Maná era uma prova. Outra prova que existia, é que era proibido não só coletar no Sábado que não caía, mas mesmo procurar. E existiram pessoas que fizeram , na verdade, dois pecados com relação ao Maná. Existiam pessoas que não cofiavam em Deus e não confiaram que no dia seguinte também vai cair , e no próximo dia vai cair, e eles tentavam armazenar, mas o maná virava vermes. E também a mesma coisa a gente vê, que houveram pessoas que mesmo ao receber duas porções na sexta-feira e a porção do Shabat (Sábado) não estragou, elas ainda assim, saíram falando vamos tentar ver; vai que aparece mesmo que Moisés falou. Então tiveram pessoas e a Bíblia conta isso, que não tiveram a fé em Deus e iam buscar o Maná no Sábado e está escrito que Deus ficou furioso com essas pessoas. O maná acaba sendo um grande sinal. Que sinal é esse? Ele pára de cair dos céus quando o povo de Israel está entrando na terra de Israel. O motivo disso é que Deus, quando o povo está entrando na terra de Israel, Ele (Deus) está agora terminando uma fase de tantos milagres. As nuvens de glória, o maná, o poço que acompanhava eles no deserto durante 40 anos. Chegou a hora do povo ter uma vida natural na terra de Israel. E dentro dessa vida natural, uma vida de trabalho. Também o trabalho divino, o estudo da Torah, as rezas e orações e assim por diante. Eu quero pessoas, seres humanos que tem que cuidar do seu corpo e não se esquecem da sua alma.
Então Deus faz essa mudança; por isso o maná pára de cair. Porém, Deus ordena a Moisés a guardar um pote com maná e esse pote ele ficava no Beit Hamidrash. Ou seja, no início ele ficava no Tabernáculo e depois ele ficava no Grande Templo. Para quê? Para mostrar para todas as pessoas que o povo de Israel esteve no deserto durante quarenta anos; O Midrash relata que permaneceu lá por muitos anos, e nos dias do profeta Jeremias , quando Jeremias repreendeu os judeus, dizendo: “Por que vocês não se ocupam da Torá ?” eles responderam: “Devemos deixar nosso trabalho e nos envolver na Torá? De que vamos nos sustentar?” Ele tirou a jarra de maná e disse a eles: “Vocês estão vendo a palavra do Eterno”. Não diz “ouvir”, mas “ver”. Em outras palavras, Jeremias estava dizendo: “Com isso, seus ancestrais se sustentaram. D'us tem muitos agentes para preparar comida para aqueles que O reverenciam.”

Três níveis de entrega do Maná

O maná cairia de tal maneira que os justos o encontrariam nas portas de suas tendas; as pessoas comuns tinham que sair do acampamento para recolher o que caía ali; e os ímpios tiveram que ir longe para encontrar suas porções. 
Além disso, para os justos caiu pronto para comer, semelhante ao pão assado; para a pessoa média, caiu como bolos não assados, exigindo preparação mínima; e para os ímpios veio em forma não processada e, consequentemente, eles tiveram que moê-lo em um moinho. 
Uma pessoa tinha até a quarta hora do dia para coletar o maná, após o que ele derreteria no calor do sol. O Midrash relata que o derretimento do maná criaria riachos que forneceriam água potável para muitos dos animais no deserto. Se um membro de uma nação próxima comesse um daqueles animais que haviam bebido dos riachos infundidos com maná, ele seria capaz de sentir o gosto do maná. 

O Sustento vem de Deus

O Nosso sustento ele vem de Deus!
A pessoa pensa que tudo que ela faz, esse é o motivo que ela tem sustento. Deus fala: Ordena Moisés a guardar um pouco para as pessoas saberem que todo sustento no deserto, na terra de Israel ou em qualquer época em qualquer lugar; o sustento vem de Deus!
Você não precisa fazer nada de errado para o seu sustento vir. Porque a bênção material depende somente de Deus. Então por isso ele (o maná) foi guardado e as pessoas iam e viam e assim se recordavam: que meu sustento vem de Deus. É interessante, que no judaísmo, a pessoa quando vai comer algum alimento, ela profere uma bênção. Ela pede para Deus a permissão de comer a comida que Ele está dando. Cada alimento tem a sua bênção. É interessante notar, que, quando nós comemos pão hoje em dia, nós proferimos uma bênção: "Bendito seja Tu, Eterno nosso Deus que nos dá pão da terra". Como as pessoas abençoavam à Deus quando chegavam o Maná dos céus? Elas abençoavam assim: "Bendito seja Tu, Hashem, Eterno nosso Deus, que nos dá pão dos céus". Claramente, um louvor fantástico. Mas a gente tem que aprender que o nosso pão que vem da terra, ele também é uma bênção dos céus é uma bênção de Deus!
(Fonte: Este texto contém partículas dos comentários das vídeo-aulas do Rabino Rony Gurwicz da Academia de Moisés um projeto de judaísmo da America Latina e partes de artigos publicados em Chabad.Org pelo rabino Yehuda Shurpin - Montagem e edição do texto por Costumes Bíblicos.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

DESTAQUE NO SITE

MULHERES DE FÉ - Apresentação

"Do lado de fora, as mulheres da Bíblia  parecem desempenhar apenas um papel de apoio  em um drama dominado pelos homens." Mulher...