COSTUMES BÍBLICOS: O Intrigante significado do papel da Mulher Bíblica


O Intrigante significado do papel da Mulher Bíblica

Na Torá, está escrito o seguinte sobre a função primária de Eva:

וַיֹּאמֶר יהוה אֱלֹהִים לֹא־טוֹב הֱיוֹת הָאָדָם לְבַדּוֹ אֶעֱשׂ ֶהּ־לּוֹ עֵזֶר כְּנֶגְדּוֹ׃

O SENHOR Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só; Farei uma ajudante adequada para ele”. (Gn 2:18)

A palavra hebraica para “mulher” é אִשָּׁה (isha) e para “homem” אִישׁ (ish). O que é interessante, no entanto, é que essas duas palavras, “homem” אִישׁ (ish) e “mulher” אִשָּׁה (isha), embora soem semelhantes, não compartilham uma raiz hebraica comum. A palavra אִישׁ (ish) vem da raiz אִוֵּשׁ, conotando “força”, enquanto a palavra אִשָּׁה (isha) vem da raiz אֲנָשׁ (anash), que significa “frágil”. A Bíblia hebraica, embora reconheça que a mulher é um “vaso mais fraco” (como em 1 Pedro 3:7), atribuiu à mulher um papel muito importante.

Infelizmente, a palavra portuguesa “ajudante” não comunica suficientemente o poder do significado original hebraico. Esta palavra é, na verdade, um termo militar. O uso de עֵזֶר (ezer) “ajudante” conota uma intervenção ativa em nome de alguém. Descreve alguém que está comprometido com o seu bem-estar na medida em que está disposto a morrer ou matar por você.
A maioria das traduções inglesas (incluindo a citada acima) descreve a companheira de vida de Adão, Eva, como algo semelhante a uma “ajudadora adequada”. No entanto, a frase hebraica עֵזֶר כְּנֶגְדּוֹ (ezer kenegdo), se traduzida mais literalmente, carrega um significado intrigante. Eva é descrita em termos de oposição, como “uma auxiliadora que está contra ele”. Também é interessante que Provérbios 31:10, ao se referir à sabedoria personificada como uma mulher, a chama de אֵשֶׁת-חַיִל ( eshet chayil ) “uma mulher-soldado”!
Histórias da Bíblia como Zípora se opondo a Moisés , Tamar se opondo a Judá , Raabe se opondo aos anciãos da cidade e a mulher samaritana se opondo às tradições e políticas sancionadas pelos homens vêm à mente como exemplos. Essas grandes mulheres de fé intervieram, opondo-se à vontade dos homens envolvidos, e com grande risco pessoal mereceram um lugar sem precedentes na história bíblica.
Infelizmente, na atualidade, o chamado "feminismo" têm degradado a imagem graciosa da mulher! Esses "ativismos", deturpam o que realmente significa lutar por um ideal; lutar por um bem comum. Esse "feminismo" apenas tenta provar por meios escusos, ser igual, maior e até mesmo melhor que o outro. [NÃO ME REPRESENTAM!] É uma luta por ideais imorais, egoístas e sangrentos! Esses famigerados ativismos não tem nada a ver com a luta limpa e seu objetivo santo, das mulheres da Bíblia. Nada que fazem ou digam, demonstram o motivo e interesses das valentes guerreiras bíblicas; que mesmo se opondo aos seus esposos e líderes comunitários, NÃO os desonravam, antes, os engrandeciam e em algumas situações, salvava-lhes a vida! Bravamente se destacaram por honrar o Nome do Eterno e Sua Aliança! As mulheres bíblicas colocavam suas vidas em risco; muitas, com sua bravura fé e renúncia, salvaram sua nação, povos e famílias!
Uma pequena amostra da oposição de Zípora à Moises:
Moisés estava prestes a embarcar na “Operação Êxodo” sem o sinal da aliança abraâmica sobre ele ou seu filho Gershom. Quando Deus veio buscar sua vida, a esposa midiana de Moisés, Zípora, interveio para salvá-lo. A ira de Deus foi afastada pelo sangue do filho e pela ação redentora decisiva de uma mulher midianita.
Isso explica o comportamento aparentemente estranho de Deus. Mas como podemos entender as palavras de Zípora (“Você é meu noivo de sangue”)?
A circuncisão não era apenas um sinal para o homem de sua entrada na aliança abraâmica. Também serviu de sinal para a noiva de que o homem com quem ela se casaria era, de fato, um adorador do Deus Altíssimo. Um homem devidamente circuncidado era um “noivo de sangue” para ela.
Mas por que Zípora tocou o prepúcio de Gershom nos “pés” de Moisés? O cenário mais provável é que os “pés” de Moisés se refiram ao órgão procriador de Moisés (um eufemismo comum na Bíblia Hebraica).
Na época, o órgão procriador de Moisés não estava devidamente marcado com o sinal da aliança abraâmica. Depois de (adequadamente) circuncidar Gershom, Zípora tocou o órgão procriador de Moisés como se ele já tivesse sido devidamente circuncidado . Quando esta grande mulher de fé fez isso, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó poupou a vida de Moisés, preparando-o para libertar o povo antigo de Deus.
Mais um exemplo de uma atitude de risco para uma mulher da época bíblica! Quem não conhece a história de Tamar? Uma brava mulher desprezada e desgostosa! Mas, por tudo que ela viveu, nem por isso, seu ato de bravura e fidelidade a aliança, fez desmerecer o honrado líder de seu povo. 
Leia abaixo um pequeno insight sobre a bravura de Tamar!
Uma atitude arriscada
Judá, sendo um dos filhos de Jacó, participou de uma conspiração para se livrar de seu meio-irmão José, vendendo-o como escravo no Egito . Dada a expectativa de vida de 20 anos dos escravos egípcios, ser vendido como escravo no Egito não era a salvação da morte. Era a morte, adiada por muito sofrimento. Quando Judá amadureceu e se tornou pai de três filhos (dois dos quais morreram depois de se casar com Tamar), ele aprendeu o que significa amar demais alguém. Apesar da lei do levirato, que obrigava Judá a ter seu terceiro filho casado com Tamar, ano após ano ele recusou. Seu amor por seu filho superou seu senso de justiça em relação a Tamar.
Isso continuou até que Tamar orquestrou um dos maiores avanços redentores da história do mundo – fazendo com que o próprio Judá restaurasse a semente de seu filho morto. Tamar se desgraçou, fingindo ser uma prostituta local. Seu plano verdadeiramente não convencional (mas incrivelmente corajoso) funcionou de maneira brilhante. Quando Tamar estava grávida e a verdade sobre o relacionamento de Judá com a criança foi provada, Judá se arrependeu e declarou Tamar inocente de qualquer delito. Judá reconheceu seu próprio pecado e assumiu sua culpa, em vez de condenar Tamar. (Gn.38:1-27).
O livro de Rute celebra Perez, filho de Tamar e Judá, como uma parte crucial do plano redentor de Deus e o estabelece como o ancestral do rei Davi (Rute 4:11-17). Ainda mais importante, os Evangelhos incluem Perez entre os antepassados ​​de Jesus, o Messias, e o Livro do Apocalipse refere-se a Jesus como o Leão da tribo de Judá! Perez, independentemente das circunstâncias de seu nascimento, é um elo essencial na corrente que liga Jesus, o Messias, e Judá, o filho de Jacó.
Essas e outras inúmeras histórias fascinantes, deixará você surpreso com o mundo judaico que espera por você. Não demore mais um minuto: inscreva-se agora!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! Fica na paz!
E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
Filipenses 1:9-11

Postagem em destaque

GOG E MAGOG - ESCATOLOGIA JUDAICA

A Garganta de Darial antes de 1906. FOTO:   As  Portas de Alexandre  foram uma barreira lendária construída por Alexandre, o Grande no Cáuca...