Costumes Bíblicos: CARACTERÍSTICAS DO INFERNO

Israel Institute of Biblical Studies

CARACTERÍSTICAS DO INFERNO

I. Quem estará no inferno?
A. Satanás (Rm 16.20; Ap 20.10).
B. O anticristo (2Ts 2.8).
C. O falso profeta (Ap 19.20).
D. Os anjos caídos (2Pe 2.4).
De acordo com Paulo, o crente terá parte na declaração das sentenças dos anjos caídos (1Co 6.3).
E. Judas Iscariotes.
O traidor de Jesus Cristo é citado aqui, em particular, porque há pessoas (notavelmente, o falecido e amado Kenneth S. Wuest da Moody Bible Institute faculty) que acreditam que Judas receberá um lugar especial no Geena, baseando-se nas palavras de Pedro na sala superior pouco antes do Pentecostes (At 1.25).
F. Todos os não salvos.
Em Apocalipse 21.8, João classifica todos os pecadores em oito categorias gerais.

  1. Tímidos. Em primeira análise, pode parecer estranho encontrar os tímidos no topo dessa lista dos rejeitados de Geena, mas muitos irão, obviamente, para o inferno pelo custoso temor de clamar o nome do Salvador (Pv 29.25; Jo 9.22; 12.42,43).
  2. Incrédulos. Literalmente, esses são os que não creem. Ninguém vai para o inferno por ser incapaz de crer. Não existe agnósticos honestos (Jo 3.36).
  3. Abomináveis. Literalmente, essa é uma referência aos que se contaminaram com abominações (Pv 6.16-19).
  4. Homicidas. Isso faz referência não só a um assassino humano, mas também a quem odeia humanos (1Jo 3.15).
  5. Fornicadores. Isso faz referência aos que cometem pecados sexuais (Ef 5.5; Hb 13.4). Por algum motivo que não foi totalmente revelado nas Escrituras, Deus odeia o pecado de imoralidade sexual de forma especial, considerando-o, talvez, com exceção do orgulho e da prepotência, a transgressão mais ofensiva de todas. Esse pecado decretava a pena de morte aos que fossem acusados de cometê-lo no Antigo Testamento (Lv 20.10; Dt 22.22-24). E foi por causa desse pecado que Deus varreu a antiga cidade de Sodoma (Gn 13.13; 18.20,21; 19.24). A perversão sexual causou, provavelmente, a destruição - liderada por Josué, sob o comando de Deus - da sociedade canaanita (compare Dt 20.17,18 com 1Rs 14.24). Por fim, no Novo Testamento, Paulo associa esse pecado à completa degradação da raça humana. Na verdade, esse é o único pecado registrado que faz com que Deus "abandone" as nações e as culturas que a praticam (Rm 1.24-28 NVI).
  6. Feiticeiros. A palavra grega é pharmakos, que se refere a um encantador com drogas. Em sentido geral, a palavra também se refere aos que têm parte com Satanás por meio de adivinhadores, médiuns e astrologia (Ap 9.21; 18.23).
  7. Idólatras. Os que adoram algo ou alguém no lugar do verdadeiro Deus são descritos como idólatras (Rm 1.22,23).
  8. Mentirosos (Jo 8.44; 1Jo 2.22; Ap 2). è assustador perceber que todas as passagens acima são sobre mentirosos religiosos!
II. Qual a natureza e quais as características do inferno?
Como o inferno realmente será?
O inferno é:
A. Um lugar de fogo que não pode apagar (Mt 3.12; 13.41,42; Mc 9.43).
Há opiniões divergentes quanto ao fogo aqui, mencionado, ser literal ou não. Já foi sugerido que o fogo não é real, mas, algo muito pior. Entretanto, a linguagem grega pode indicar o contrário. A mesma palavra grega para fogo 9pur) usada em Mateus 13.42 também se encontra em Mt 17.15 e Lc 17.29.
B. Um lugar de memória e remorso.
Em Lucas 16.19-31, o rico não salvo tinha memória e remorso de sua perdida condição no Hades. É certo que essas experiências não serão amenizadas no Geena.

  1. Como Davi, os que estiverem no inferno poderão dizer: Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim (Sl 51.3).
  2. Diferente de Davi, eles nunca poderão dizer: Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto (Sl 32.1).
C. Um lugar de sede (Lc 16.24).
De fato, parece difícil aceitar esse relato de forma literal sem que o fogo do inferno seja literal. Mas, e quanto ao dedo do Lázaro e a língua do rico? Isso pode ser interpretado literalmente?
Tem sido especulado, com base nessa passagem e também em 2 Coríntios 5, que é dado um tipo de corpo temporário para ambos, salvos e não salvos, até a ressurreição de todos.
D. Um lugar de tormento e dor (Ap 14.10,11).
E. Um lugar de frustração e ira (Mt 13.42; 24.51).
F. Um lugar de separação.
Os não salvos costumam fazer a seguinte piada: "Bom, se eu for para o inferno, não estarei sozinho. Todos os meus amigos estarão lá também. Mas, na verdade, é o contrário. Em quatro passagens diferentes, pelo menos, o inferno de Geena é chamado de segunda morte (Ap 2.11; 20.6,15; 21.8).
Como já comentamos, na Bíblia, a morte refere-se à separação. Portanto, o inferno é a segunda morte, literalmente, pois o pecador ficará separado de Deus para sempre; e, assim como o Geena é um lugar de trevas, essa separação irá, sem dúvidas, separá-lo da companhia de seus amigos não salvos também.
Portanto, a pior coisa do inferno tem muita ligação com a melhor coisa do céu, ou seja, o primeiro é um lugar do qual Jesus Cristo estará completamente ausente e o segundo é um lugar onde Ele estará completamente presente.
G. Um lugar de pura ira divina.
O homem já experimentou parte da ira de Deus nesta terra, mas não em seu estado puro. Após o dilúvio, tem havido o arco-íris; a partir desse fato, Deus sempre ouviu e respondeu à oração do profeta Habacuque (Hc 3.2).
Mas não mais! Todos deverão pensar com cuidado nestas palavras: também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro (Ap 14.10).
H. Um lugar preparado, originalmente, para Satanás e suas hostes.
Talvez, o fato mais triste sobre o inferno é que o não salvo vai para lá como alguém que não foi convidado, de certa forma (Mt 25.41).
Como é trágico, portanto, que o pecador recuse o céu, o lugar preparado para todos os homens arrependidos, apenas para finalmente ir ao inferno, um lugar que não foi criado originalmente para ele (Jo 14.2).
Nota: No Getsêmani, em três ocasiões, nosso Senhor orou: Seja feita a tua vontade. De uma maneira bastante real, essas cinco palavras simples determinam o céu ou o inferno para cada ser humano. Para deixar claro:

  1. Se o pecador rejeita Cristo, então o Pai diz a ele: "Seja feita a tua vontade", resultando em sua ida ao inferno.
  2. Se o pecador aceita Cristo, então, ele mesmo diz ao Pai: "Seja feita a Tua vontade", resultando em sua ida ao céu.
I. Um lugar criado para toda a eternidade.
A palavra grega para eternidade é aionios e pode ser encontrada 71 vezes no Novo Testamento. 64 dessas ocorrências fazem referência a Deus, como Seu eterno poder, Seu Espírito, Seu Reino, Seu concerto, etc. Os outros sete casos estão diretamente relacionados à duração do inferno. Em outras palavras, o inferno continuará enquanto a obra de Deus continuar, a qual é para sempre. Muitas passagens abordam essa verdade (Dn 12.2; Mt 25.46; Jd 1.7).
Quanto tempo dura a eternidade? Imagine que o sol (o qual é mais de um milhão de vezes maior que a Terra) fosse feito de ronha de granito maciça. Imagine, também, um pequeno pássaro do nosso planeta voando até essa pedra gigantesca, uma vez a cada mil anos, e tirando um pequeno grão de areia. Quando a última partícula for levada, o primeiro momento da eternidade mal teria começado.
Que cristão não fica emocionado com a última estrofe do grande hino Amazing Grace, de John Newton: "Quando estivermos lá por dez mil anos, brilhantes como o sol, não teremos menos dias para cantar louvores a Deus do que quando começamos?
Mas, deixe-me reverter e aplicá-lo aos que estarão no inferno: "Quando eles estiverem lá por dez mil anos, no gofo mais quente que o sol, não terão menos dias para amaldiçoar e delirar do que quando começaram!". É um pensamento chocante de fato!
Não há dúvidas de que a verdade mais difícil de aceitar, mesmo para os cristãos, é a duração do inferno. É possível compreender que um pecador de 65 anos vá para o inferno por 65, 650,6.500 ou até por 65 milhões de anos. Mas, por que eternamente? Como um Deus justo pode punir, para sempre, os pecados que foram cometidos em um breve período de tempo na terra?
A resposta completa existe apenas na mente de Deus. Entretanto, o inferno demonstra vividamente a santidade de Deus e Sua abominação ao pecado. Dessa forma, os pecados contra a eterna santidade de Deus só podem ser punidos pela justiça eterna de Deus.
O teólogo Thomas Hooker descreve a agonia do inferno:
Imagine o seguinte: se todas as doenças do mundo afligissem um só homem e se todo o tormento que todos os tiranos do mundo pudessem criar fosse lançado contra ele; e se todas as criaturas do céu e da terra conspirassem para destruir esse homem; e se todos os espíritos malignos do inferno trabalhassem para puni-lo, você poderia pensar que esse homem estaria em uma situação terrível. Mas, isso tudo é apenas um feixe da indignação de Deus. Se os feixes da indignação de Deus são tão quentes, qual é a soma total de Sua ira quando atinge a alma de uma criatura pecadora com força total? (Citado por Charles Swindoll. Swindoll's Ultimate Book of Illustrations and Quotes. Nashville, TN: Thomas Nelson.p.266)

LEIA TAMBÉM
Este artigo é continuação desse estudo:
          ⇓

(Continuação em edição)

DESTAQUE NO SITE

JESUS numa sociedade pluralista

Na Palestina do tempo de Jesus, a sociedade era diversificada, mais ou menos como a nossa. Em Cesaréia de Filipe, onde Pedro confe...

MAIS ACESSADOS